Mercado abrirá em 9 h 39 min

CORREÇÃO (OFICIAL)-ONS vê demanda por energia saltar 4,7% no mês com reabertura

·2 minutos de leitura
Central de monitoramento do ONS em Brasília (DF)
Central de monitoramento do ONS em Brasília (DF)

(ONS retificou dados de carga do Brasil para alta de 4,7% (e não 9,5%), carga do Sul para +5,8% (e não +13,8%); carga do Nordeste para +4,1% (e não +9,5%); carga do Sudeste para + 4,4% (e não +8,9%).)

SÃO PAULO (Reuters) - O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) reduziu expectativas para a demanda por eletricidade no Brasil em outubro nesta sexta-feira, ao projetar que a carga de energia do sistema interligado do país deve avançar 4,7% na comparação com mesmo mês do ano passado.

Em meio à gradual reabertura da economia após meses de quarentenas adotadas em Estados e municípios para reduzir a disseminação do coronavírus, o ONS vinha até então aumentando consecutivamente as previsões para a carga de energia deste mês. Na semana passada, o órgão via expansão de 6,3%.

O desempenho deve ser liderado, em termos percentuais, pelas regiões Sul e Norte do país, onde o uso de energia deve crescer 5,8% na comparação com mesmo período do ano passado, ante alta de 6,9% e 6% esperada na semana anterior, respectivamente.

No Nordeste, o ONS vê alta de 4,1% na carga, enquanto no Sudeste, centro das atividades econômicas, a projeção é de avanço de 4,4%-- na semana passada, esperava-se aumento de 6,9% no Sudeste e 3,4% no Nordeste.

Em abril, primeiro mês sob impacto das quarentenas e medidas de isolamento adotadas contra a Covid-19, a carga de energia chegou a desabar 12%.

Nos meses seguintes, houve gradual recuperação, sendo que setembro registrou o melhor desempenho desde o início da pandemia, com avanço de 2,9% do consumo na comparação anual, segundo dados preliminares da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE).

Na semana passada, a previsão do ONS de aumento do consumo de energia apontou que o "comportamento da carga segue fortemente impactado pela recuperação do setor industrial brasileiro após as reduções observadas em função da pandemia". O órgão ainda não detalhou a análise desta semana.

CHUVAS

O órgão do setor elétrico ainda reduziu a previsão para as chuvas na região das hidrelétricas, principal fonte de geração do Brasil.

No Sudeste, que concentra as usinas com maiores reservatórios, a precipitação na área dos lagos das represas deve atingir 53% da média histórica, contra 54% esperados na semana anterior.

No Nordeste, segunda região em reservatórios, a projeção do ONS recuou para 39% da média no Nordeste, contra 45% na semana passada.

Houve ainda corte para 19,8% nas estimativas para o Sul, onde a previsão anterior era de chuvas em 45% da média.

(Por Luciano Costa)