Mercado fechado

ONS prevê carga de energia menor em novembro, faz ajuste em armazenamento do Sudeste

Torres de transmissão de energia no Brasil

SÃO PAULO (Reuters) - O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) passou a prever queda mais acentuada da carga de energia elétrica no Brasil em novembro, ao mesmo tempo que fez um ajuste para baixo nas estimativas para nível de reservatórios no Sudeste ao final do mês, segundo boletim divulgado nesta sexta-feira.

Para a carga, o órgão estimou queda de 1,7% em novembro ante igual mês de 2021, ante -0,6% previsto na semana passada.

Já para os reservatórios de hidrelétricas do Sudeste/Centro-Oeste, o ONS estimou que cheguem ao final de novembro com 49,0% da capacidade, um pouco abaixo dos 49,9% projetados anteriormente.

Apesar da revisão para baixo, o armazenamento no principal submercado do país está no maior nível desde 2011 e também bastante superior ao de 2021, quando o país teve forte escassez de chuvas, o que levou a riscos de racionamento de energia.

O ONS também estimou que as hidrelétricas do subsistema Sul receberão mais chuvas ao longo do mês. A expectativa é de que o volume de chuvas chegue a 101% da média histórica em novembro, ante 96% previstos na semana anterior.

Para os demais submercados, foram reduzidas as estimativas de chuvas para o Sudeste/Centro-Oeste (89% da média, ante 96% estimados na semana passada) e Norte (170%, ante 173%), e elevada a previsão para o Nordeste (65%, ante 45%).

(Por Letícia Fucuchima)