Mercado abrirá em 2 h 13 min
  • BOVESPA

    120.061,99
    -871,79 (-0,72%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.867,62
    +338,65 (+0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,05
    -0,30 (-0,49%)
     
  • OURO

    1.787,60
    -5,50 (-0,31%)
     
  • BTC-USD

    54.269,29
    -1.309,18 (-2,36%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.259,80
    -3,16 (-0,25%)
     
  • S&P500

    4.173,42
    +38,48 (+0,93%)
     
  • DOW JONES

    34.137,31
    +316,01 (+0,93%)
     
  • FTSE

    6.899,39
    +4,10 (+0,06%)
     
  • HANG SENG

    28.755,34
    +133,42 (+0,47%)
     
  • NIKKEI

    29.188,17
    +679,62 (+2,38%)
     
  • NASDAQ

    13.902,00
    -17,25 (-0,12%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6444
    -0,0576 (-0,86%)
     

ONS mantém projeção de carga de energia em março apesar de restrições contra Covid

·1 minuto de leitura

SÃO PAULO (Reuters) - O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) projetou nesta sexta-feira que a carga de energia do sistema interligado do Brasil deverá fechar março com alta de 2,3% na comparação anual, levemente acima do aumento de 2,2% visto na semana anterior.

A nova previsão vem apesar de perspectivas de endurecimento de medidas contra a Covid-19 pelo país nos próximos dias-- o Estado de São Paulo anunciou uma fase emergencial de sua quarentena a partir de segunda-feira, com toque de recolher a partir das 20 horas.

Para o Sudeste, o ONS reduziu as perspectivas de aumento da demanda por energia para 2%, de 2,5% na semana anterior, enquanto no Sul também houve corte, para 0,2%, de 0,8% antes.

No Nordeste, no entanto, o órgão elevou a projeção para alta de 4,3%, ante 1,4%. No Norte, a projeção atual é de aumento de 5,6%, também acima dos 4,7% da semana anterior.

O ONS apontou ainda que chuvas na região das hidrelétricas, principal fonte de geração do Brasil, devem seguir abaixo da média histórica em março, com 78% da média no Sudeste, onde estão os principais reservatórios, contra precipitações vistas em 81% na semana anterior.

No Nordeste, a previsão recuou para 67% da média, contra 76% anteriormente.

Com isso, o ONS aumentou a previsão de geração térmica, para 5,13 gigawatts, de 4,7 gigawatts no boletim da semana anterior.

(Por Luciano Costa)