Mercado abrirá em 7 h 53 min
  • BOVESPA

    111.439,37
    -2.354,63 (-2,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.307,71
    -884,59 (-1,69%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,30
    -0,67 (-0,93%)
     
  • OURO

    1.748,60
    -2,80 (-0,16%)
     
  • BTC-USD

    45.725,30
    -2.176,14 (-4,54%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.143,90
    -81,63 (-6,66%)
     
  • S&P500

    4.432,99
    -40,76 (-0,91%)
     
  • DOW JONES

    34.584,88
    -166,42 (-0,48%)
     
  • FTSE

    6.963,64
    -63,84 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    23.955,18
    -965,58 (-3,87%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,75 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.234,00
    -92,00 (-0,60%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1882
    -0,0112 (-0,18%)
     

OnlyFans culpa os bancos pelo banimento de conteúdo sexual explícito; entenda

·2 minuto de leitura

O OnlyFans fechou a semana passada com um importante aviso para seus usuários: a publicação de conteúdo sexual explícito será banida da plataforma a partir de 1° de outubro. Para esclarecer a mudança, finalmente o CEO da companhia, Tim Stokely, comentou sobre o assunto e foi categórico na hora de escolher um culpado por esse movimento: os bancos.

A revelação aconteceu em uma entrevista para o Financial Times que contatou o CEO em busca de mais detalhes sobre a virada de estratégia da plataforma. Segundo Stokely, três grandes instituições financeiras — Bank of New York Mellon, Metro Bank e JPMorgan Chase — rejeitaram qualquer participação no OnlyFans devido ao “risco à reputação” implicado pela veiculação de pornografia. Aí, para manter as funções de pagamento aos criadores, o site teria que mudar.

“Nós não tivemos escolha senão mudar a nossa política”, contou o executivo. A menção aos bancos como os culpados pela alteração tira da mira as bandeiras de cartões MasterCard e Visa, companhias que coagiram plataformas a mudar a abordagem quanto à veiculação de conteúdo sexual explícito.

A estreia do OFTV, o aplicativo do OnlyFans para celular, sinalizou que mudanças estavam para chegar (Imagem: Captura de tela/Canaltech)
A estreia do OFTV, o aplicativo do OnlyFans para celular, sinalizou que mudanças estavam para chegar (Imagem: Captura de tela/Canaltech)

Mudanças ainda podem rolar

No OF, o banimento não tira de vez conteúdo adulto da plataforma — e até nudez é permitida, embora com ressalvas. Nada está escrito em pedra, então há a chance de a alteração não ser o suficiente para tornar o serviço mais atraente para investidores. Daí, cortes mais profundos seriam necessários.

O CEO não comentou, mas a estreia do OnlyFans como aplicativo na Play Store e na App Store também pode ter colaborado com a decisão, já que o Google e a Apple não dão espaço para conteúdo sexual. Lá, o OFTV, como o app foi batizado, teria um rigor ainda maior, proibindo inclusive nudes.

A virada de políticas do OnlyFans tem precedentes na internet — Tumblr, Patreon e eBay adotaram abordagens semelhantes. Agora, vale observar se a decisão da empresa realmente renderá os frutos esperados, já que a renovação nas políticas terá forte impacto na receita de criadores de conteúdo sexual da rede.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos