Mercado fechará em 3 h 55 min
  • BOVESPA

    121.275,13
    -2.301,43 (-1,86%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.126,65
    -507,26 (-0,98%)
     
  • PETROLEO CRU

    68,14
    -2,42 (-3,43%)
     
  • OURO

    1.812,00
    -2,10 (-0,12%)
     
  • BTC-USD

    39.355,72
    +1.142,02 (+2,99%)
     
  • CMC Crypto 200

    970,36
    +43,60 (+4,70%)
     
  • S&P500

    4.406,77
    -16,38 (-0,37%)
     
  • DOW JONES

    34.845,33
    -271,07 (-0,77%)
     
  • FTSE

    7.123,86
    +18,14 (+0,26%)
     
  • HANG SENG

    26.426,55
    +231,73 (+0,88%)
     
  • NIKKEI

    27.584,08
    -57,75 (-0,21%)
     
  • NASDAQ

    15.045,25
    -1,00 (-0,01%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1963
    +0,0308 (+0,50%)
     

OneWeb chega a 254 satélites lançados e já pode iniciar serviço de internet

·3 minuto de leitura

Nesta quinta-feira (1º), um foguete russo Soyuz levou um conjunto de 36 satélites de internet da OneWeb para o espaço. Este lançamento expandiu a constelação de satélites da empresa para 254 unidades, quantidade suficiente para começar a oferecer serviços comerciais a usuários em regiões acima dos 50 graus de latitude, como Reino Unido, Canadá, Alasca, Groenlândia, entre outros. Agora, nos próximos passos, a empresa começará a focar na cobertura do hemisfério sul.

O foguete Soyuz-2.1b deixou o cosmódromo de Vostochny, na Rússia, durante a manhã de quinta-feira. Cerca de dois minutos após lançamento, o foguete ativou os propulsores do primeiro estágio; passado mais algum tempo, o estágio central foi ativado até chegar aos cinco minutos da missão, quando se separou para retornar ao solo russo. O estágio Fregat, que levava os satélites em seu “nariz”, cumpriu o objetivo de levar cada um deles para a órbita polar, à altitude de 450 km. Posteriormente, a Oneweb confirmou o sucesso da missão com o retorno do sinal dos satélites.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Os satélites da Oneweb enviam sinais de internet para usuário no solo, mar ou ar, fornecendo conectividade de alta velocidade e baixa latência para clientes, grandes empresas e governos — e, se essa descrição soa familiar, é porque o serviço da OneWeb é um concorrente direto da rede Starlink, da SpaceX, e de outras empresas que também estão criando suas constelações de satélites de internet.

Contudo, ainda faltam alguns meses para isso acontecer, porque os satélites ainda precisam ser testados e subir até as órbitas desejadas, a 1.200 km de altitude. Esta foi a oitava missão feita por um foguete Soyuz e dedicada ao lançamento dos satélites da OneWeb. Para conseguir cobertura nas regiões mais ao sul do planeta, ainda haverá alguns outros lançamentos com veículos russos neste ano, cada um levando 30 unidades para o espaço.

Segundo Chris McLaughlin, chefe de governo, regulamentação e engajamento da OneWeb, mais 10 lançamentos serão necessários para a empresa poder oferecer serviços globais com a constelação. “Para a próxima fase, diminuiremos a latitude para a marca de 20 graus no norte, e até 20 graus no sul”, disse, em entrevista. “Assim, teremos um cinturão no meio da Terra, que será preenchido ao longo do próximo ano”.

Os satélites preparados para o lançamento (Imagem: Reprodução/Roscosmos)
Os satélites preparados para o lançamento (Imagem: Reprodução/Roscosmos)

A expansão da constelação acontece após a OneWeb ter driblado um período conturbado no ano passado. Em março, logo após lançar 34 satélites, a empresa entrou com pedido de falência em função dos impactos causados pela pandemia do novo coronavírus. As atividades foram retomadas em setembro com um novo lançamento, após a compra do governo britânico e pela operadora indiana Bharti Global.

Boris Johnson, primeiro-ministro da Inglaterra, comentou o lançamento: “o lançamento mais recente dos satélites da OneWeb colocará a banda larga de alta velocidade dentro do alcance de todo o hemisfério norte no fim deste ano, incluindo melhorias na conectividade nas áreas mais remotas do Reino Unido”. Segundo ele, com o apoio do governo britânico, a empresa provou o que é possível fazer quando os investimentos públicos e privados se unem.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos