Mercado abrirá em 5 h 31 min
  • BOVESPA

    110.611,58
    -4.590,65 (-3,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.075,41
    +732,87 (+1,58%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,55
    -0,50 (-0,77%)
     
  • OURO

    1.691,00
    +13,00 (+0,77%)
     
  • BTC-USD

    53.729,06
    +3.154,71 (+6,24%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.082,14
    +57,93 (+5,66%)
     
  • S&P500

    3.821,35
    -20,59 (-0,54%)
     
  • DOW JONES

    31.802,44
    +306,14 (+0,97%)
     
  • FTSE

    6.719,13
    +88,61 (+1,34%)
     
  • HANG SENG

    28.553,83
    +13,00 (+0,05%)
     
  • NIKKEI

    29.027,94
    +284,69 (+0,99%)
     
  • NASDAQ

    12.399,50
    +102,25 (+0,83%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,9718
    +0,0120 (+0,17%)
     

Onda de ginástica online deve perdurar após pandemia

Jacqueline Davalos
·2 minuto de leitura

(Bloomberg) -- Depois de um ano em que as pessoas passaram meses trancadas em casa e se exercitando pouco, as resoluções de Ano novo ganharam um pouco mais de peso em 2021.

O setor de fitness é um exemplo. Apesar de a pandemia de coronavírus ter reduzido a capacidade das academias e fechado algumas completamente, o aumento tradicional de matrículas em janeiro nos Estados Unidos igualou - e de certa forma superou - as de anos anteriores. Parte disso pode estar relacionado ao previsível boom das aulas online e à tendência de cuidar da saúde física e mental.

“Não se trata de metas para vestir um biquíni, porque quem sabe quando vamos sair de férias novamente”, disse Josh McCarter, diretor-presidente da plataforma de reservas de fitness MindBody. “A Covid-19 levou as pessoas a pensarem sobre saúde de forma mais holística.”

A MindBody disse que deve igualar o aumento típico de 30% que costuma ver no Ano Novo, em grande parte graças aos treinos virtuais. Cerca de 50% das reservas virtuais da plataforma agora são para ioga, à medida que mais clientes procuram aulas com foco em mindfulness. “Além do bem-estar físico, a boa forma emocional, mental e espiritual se tornou uma prioridade maior.”

A transição para os exercícios online contribuiu para o que especialistas afirmam ser uma mudança permanente na forma como o setor de US$ 32 bilhões funciona. Enquanto 75% dos consumidores pesquisados disseram que retornarão no futuro às rotinas pré-pandêmicas e à academia real, muitos indicaram que manterão um componente virtual, um fenômeno com amplas implicações para o setor.

A Covid-19 acelerou a adoção de um modelo híbrido de exercícios online/presenciais que mais academias físicas provavelmente manterão quando a pandemia acabar. Proprietários de academias de ginástica que enfrentam queda do número de associados correram para se adaptar à tendência: 72% agora oferecem exercícios em grupo sob demanda e transmissão ao vivo em relação a 25% em 2019, de acordo com a firma de pesquisa de fitness ClubIntel.

No pico de fechamentos de academias em março passado, McCarter disse que as reservas de aulas em todos os lugares caíram até 85%. Nos Estados Unidos, o retorno às aulas presenciais em estúdios tem sido irregular, em parte devido às várias restrições estaduais e locais. Em Nova York e Califórnia, por exemplo, as reservas equivaliam a cerca de 50% dos números de 2019, enquanto em estados como Arizona e Geórgia caíram apenas 15%.

Estilos de vida que se tornaram repentinamente sedentários - sem deslocamento ao trabalho, sem viagens e muito trabalho em casa e aprendizado remoto - alteraram os regimes de condicionamento físico. Um estudo realizado em novembro pela ClubIntel com 2 mil membros de academias dos EUA revelou que 54% dos entrevistados haviam suspendido ou cancelado seus planos.

For more articles like this, please visit us at bloomberg.com

Subscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.

©2021 Bloomberg L.P.