Mercado fechado

OMS volta atrás e decide retomar testes de hidroxicloroquina contra COVID-19

Natalie Rosa

Pouco mais de uma semana depois de anunciar que havia interrompido testes com a cloroquina e hidroxicloroquina por questões de segurança, a OMS (Organização Mundial de Saúde) acaba de revelar que os estudos clínicos com o medicamento serão retomados.

A OMS vinha conduzindo os testes através do programa internacional Solidarity e decidiu interrompê-los após um estudo divulgado na revista médica Lancet, da Inglaterra, apresentar dados sobre o uso da cloroquina e hidroxicloroquina relacionados com taxas de mortalidade. A pesquisa contou com informações de mais de 96 mil pacientes.

O anúncio da retomada foi feito nesta quarta-feira (3) pelo diretor da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, em coletiva de imprensa na sede da organização em Genebra, na Suíça, contando que o conselho de segurança analisou os dados disponíveis e chegou à conclusão de que não há motivo para descontinuar os testes . "O grupo executivo recebeu essa recomendação e endossou a continuidade de todos os testes do Solidarity, incluindo da hidroxicloroquina", disse.

Imagem: Reprodução

Sendo assim, o conselho de segurança da organização vai continuar monitorando o quão seguros são os tratamentos em testes que incluem mais de 3,500 pacientes em 35 países. "A OMS está engajada em acelerar o desenvolvimento de tratamentos efetivos, vacinas e diagnósticos como parte do nosso comprometimento para servir o mundo com ciência, soluções e solidariedade", afirmou Tedros.

A hidroxicloroquina é um medicamento bastante utilizado para o tratamento do lúpus e artrite reumatoide, mas que conta com graves efeitos colaterais, como arritmia cardíaca e fraqueza muscular. As pesquisas com a droga buscam uma efetividade contra a COVID-19, mas até o momento não existe nenhuma prova, fato que a própria OMS reconheceu na semana passada, alertando para o seu uso sem indicação médica.


Fonte: Canaltech