Mercado fechado
  • BOVESPA

    98.953,90
    +411,95 (+0,42%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.743,15
    +218,70 (+0,46%)
     
  • PETROLEO CRU

    108,46
    +2,70 (+2,55%)
     
  • OURO

    1.812,90
    +5,60 (+0,31%)
     
  • BTC-USD

    19.260,90
    +73,51 (+0,38%)
     
  • CMC Crypto 200

    420,84
    +0,70 (+0,17%)
     
  • S&P500

    3.825,33
    +39,95 (+1,06%)
     
  • DOW JONES

    31.097,26
    +321,83 (+1,05%)
     
  • FTSE

    7.168,65
    -0,63 (-0,01%)
     
  • HANG SENG

    21.859,79
    -137,10 (-0,62%)
     
  • NIKKEI

    25.935,62
    -457,42 (-1,73%)
     
  • NASDAQ

    11.610,50
    +81,00 (+0,70%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5587
    +0,0531 (+0,96%)
     

OMS vai decidir se varíola dos macacos é emergência global

Frente aos surtos da varíola dos macacos (monkeypox) registrados em 39 países, a Organização Mundial da Saúde (OMS) convocará um comitê de emergência para a próxima semana. O grupo de especialistas irá avaliar dados sobre os casos da infecção e avaliar se a situação representa uma Emergência de Saúde Pública de Interesse Internacional (Pheic, em inglês).

Vale explicar que este é um dos níveis mais altos de alerta contra doenças, emitido pela OMS. No momento, a definição se aplica apenas à covid-19 e à poliomielite (pólio). Em 2014, foi usado para descrever a situação causada pelo vírus Ebola.

OMS deve definir se a varíola dos macacos deve ser enfrentada como uma emergência de saúde global (Imagem: Dr. Noble/CDC)
OMS deve definir se a varíola dos macacos deve ser enfrentada como uma emergência de saúde global (Imagem: Dr. Noble/CDC)

Além disso, a OMS trabalha para mudar o nome da varíola dos macacos — já que a doença não está necessariamente ligada aos primatas não humanos — e de seus clados, o da África Ocidental e o da Bacia do Congo (África Central). "Faremos anúncios sobre os novos nomes o mais rápido possível", afirma a organização.

Aumento nos casos de monkeypox

"O surto global de varíola dos macacos é claramente incomum e preocupante", adianta o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, sobre a situação epidemiológica do vírus.

Desde o começo deste ano, mais de 1,6 mil casos da doença foram confirmados e outros 1,5 mil são considerados suspeitos da infecção. Desse total, 32 países que registraram casos são não endêmicos para a doença e apenas sete convivem com o vírus há alguns anos (endêmicos).

Até agora, 72 mortes foram relatadas em países anteriormente afetados. No entanto, a OMS busca informações sobre um possível óbito da doença que teria ocorrido no Brasil.

Vacinação contra a varíola dos macacos

No momento, "a OMS não recomenda a vacinação em massa contra a varíola dos macacos", afirma Tedros. "Embora se espere que as vacinas contra a varíola forneçam alguma proteção contra a varíola, há dados clínicos limitados e oferta limitada", explica.

Caso países adotem a imunização contra o vírus monkeypox, a OMS aconselha que sejam privilegiados os contatos próximos de pessoas infectadas e os profissionais da saúde, que atuam no enfrentamento dos surtos. "Também é essencial que as vacinas estejam disponíveis de forma equitativa sempre que necessário", completa Tedros.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos