Mercado abrirá em 9 h 25 min
  • BOVESPA

    120.061,99
    -871,79 (-0,72%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.867,62
    +338,65 (+0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,02
    -0,33 (-0,54%)
     
  • OURO

    1.794,80
    +1,70 (+0,09%)
     
  • BTC-USD

    53.790,10
    -2.326,41 (-4,15%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.241,76
    -21,20 (-1,68%)
     
  • S&P500

    4.173,42
    +38,48 (+0,93%)
     
  • DOW JONES

    34.137,31
    +316,01 (+0,93%)
     
  • FTSE

    6.895,29
    +35,42 (+0,52%)
     
  • HANG SENG

    28.759,38
    +137,46 (+0,48%)
     
  • NIKKEI

    29.099,93
    +591,38 (+2,07%)
     
  • NASDAQ

    13.903,50
    -15,75 (-0,11%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7079
    +0,0059 (+0,09%)
     

OMS recomenda 'não utilizar' ivermectina nos pacientes de covid-19

·2 minuto de leitura
OMS recomenda 'não utilizar' ivermectina nos pacientes de covid-19

A Organização Mundial da Saúde recomendou, nesta quarta-feira (31), que "não se utilize a ivermectina" para os pacientes de covid-19, salvo nos ensaios clínicos - afirma a instituição em um comunicado.

A ivermectina é um medicamento antiparasitário de uso comum que tem sido bastante promovido nas redes sociais, mas que, segundo o grupo de especialistas da OMS, os dados dos estudos clínicos para medir sua eficácia contra a covid-19 não deram resultados conclusivos.

"Nossa recomendação é não utilizar a ivermectina para pacientes com covid-19, independentemente do nível de gravidade, ou de duração dos sintomas", frisou a chefe da equipe de resposta clínica para covid-19 da agência da ONU, Janet Díaz, em uma entrevista coletiva.

Ele ressaltou que a única exceção a esta recomendação, com base no estado atual da pesquisa, é para os testes clínicos.

Os especialistas da OMS tiraram suas conclusões de um total de 16 ensaios clínicos aleatórios com 2.400 participantes. Alguns destes ensaios compararam a ivermectina com outros medicamentos.

O número de estudos que permitem comparar a ivermectina com o placebo "é muito menor", afirmou o dr. Bram Rochwerg, pesquisador da Universidade McMaster do Canadá e membro do painel da OMS que fez a avaliação.

Tanto Díaz quanto Rochwerg disseram que as recomendações estão "ativas" e serão atualizadas à medida que novas pesquisas confirmarem, ou expandirem, o estado atual de conhecimento.

A recomendação da OMS, a primeira sobre a ivermectina, junta-se à da Agência Europeia de Medicamentos, que, como a OMS, não recomenda seu uso - exceto em ensaios clínicos.

Sua correspondente nos Estados Unidos, a FDA (na sigla em inglês), explica em seu site, porque a ivermectina não deve ser usada.

Esta recomendação corre o risco de provocar ceticismo e indignação entre os muitos defensores deste medicamento de uso veterinário e humano, usado contra parasitas, como sarna, piolho, ou os causadores da oncocercose.

O sucesso dessa droga vem, em particular, de um estudo australiano publicado no início de 2020 que observou uma eficácia "in vitro", ou seja, em laboratório, da ivermectina sobre o Sars-CoV-2, vírus causador da covid-19.

A ivermectina é barata e é usada com frequência em alguns países da América Latina, entre outros, e compartilha algumas características com a hidroxicloroquina. Ambas são defendidas por alguns médicos e por personalidades políticas, apesar de sua eficácia não ter sido demonstrada e de um importante ensaio clínico chegar à conclusão de que não tem efeito.

vog/pc/jz/tt