Mercado fechará em 6 h 18 min
  • BOVESPA

    119.825,24
    +260,80 (+0,22%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.399,80
    0,00 (0,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    65,25
    -0,38 (-0,58%)
     
  • OURO

    1.794,80
    +10,50 (+0,59%)
     
  • BTC-USD

    57.406,50
    +1.382,40 (+2,47%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.475,26
    +3,84 (+0,26%)
     
  • S&P500

    4.165,77
    -1,82 (-0,04%)
     
  • DOW JONES

    34.274,67
    +44,33 (+0,13%)
     
  • FTSE

    7.053,84
    +14,54 (+0,21%)
     
  • HANG SENG

    28.637,46
    +219,46 (+0,77%)
     
  • NIKKEI

    29.331,37
    +518,77 (+1,80%)
     
  • NASDAQ

    13.450,75
    -40,25 (-0,30%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4110
    -0,0159 (-0,25%)
     

OMS: não há dados adequados sobre uso de vacinas diferentes na 1ª e 2ª doses

·1 minuto de leitura
A OMS defende mais estudos sobre o uso de duas vacinas contra a covid-19

A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirmou nesta sexta-feira (9) que não existem, no momento, "dados adequados" sobre os efeitos de mudar de vacina entre a primeira e a segunda dose, como a França pretende fazer com as pessoas de menos de 55 anos que receberam a primeira injeção do fármaco anticovid da AstraZeneca.

"Não há dados adequados para dizer se é algo que pode ser feito e, portanto, os especialistas da organização concluíram que injetar vacinas diferentes na primeira e segunda doses não é algo que possam, no momento, recomendar", disse Margaret Harris, porta-voz da OMS, à imprensa em Genebra.

A porta-voz recordou a posição adotada pelo Grupo de Especialistas em Assessoria Estratégica (SAGE) sobre Imunização em fevereiro, no momento de suas recomendações sobre a vacina anticovid da AstraZeneca e ante informações sobre um possível vínculo entre o produto e efeitos colaterais muito raros.

Também destacou que, na ocasião, os cientistas pediram mais pesquisas científicas sobre a possibilidade do uso de duas vacinas anticovid.

As pessoas com menos de 55 anos vacinadas contra a covid com a primeira dose da AstraZeneca receberão a segunda dose de outro fármaco - da Pfizer, ou da Moderna, anunciou a Autoridade de Saúde francesa nesta sexta.

A França suspendeu em 19 de março a aplicação da vacina da AstraZeneca para pessoas com menos de 55 anos, após a detecção de casos de trombose na Europa.

Antes da interrupção, 533.000 pessoas, sobretudo profissionais da saúde, receberam a primeira dose.

vog/rjm/bl/zm/fp/tt