Mercado abrirá em 3 hs
  • BOVESPA

    108.232,74
    +1.308,56 (+1,22%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.563,98
    +984,08 (+1,98%)
     
  • PETROLEO CRU

    114,77
    +0,57 (+0,50%)
     
  • OURO

    1.825,00
    +11,00 (+0,61%)
     
  • BTC-USD

    30.607,79
    +958,66 (+3,23%)
     
  • CMC Crypto 200

    686,96
    +444,28 (+183,07%)
     
  • S&P500

    4.008,01
    -15,88 (-0,39%)
     
  • DOW JONES

    32.223,42
    +26,76 (+0,08%)
     
  • FTSE

    7.521,71
    +56,91 (+0,76%)
     
  • HANG SENG

    20.602,52
    +652,31 (+3,27%)
     
  • NIKKEI

    26.659,75
    +112,70 (+0,42%)
     
  • NASDAQ

    12.512,00
    +267,25 (+2,18%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,3046
    +0,0241 (+0,46%)
     

OMS investiga sublinhagem da Ômicron após alta de casos

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

A sublinhagem da Ômicron (BA.2) desperta preocupação dos especialistas, e na última segunda-feira (24), após um aumento no número de casos, a própria Organização Mundial da Saúde (OMS) pediu prioridade nas investigações.

"A linhagem descendente BA.2, que difere de BA.1 em algumas das mutações, inclusive na proteína spike, está aumentando em muitos países. Investigações sobre as características da BA.2, incluindo propriedades de escape imunológico e virulência, devem ser priorizadas independentemente (e comparativamente) à BA.1.", destacou a OMS.

A sub-linhagem da Ômicron foi descoberta na Austrália, na África do Sul e no Canadá. No entanto, já está presente em vários países, como Índia e Reino Unido. Na Dinamarca, já representa 65% dos novos casos de covid-19.

OMS investiga sublinhagem da Ômicron após alta de casos (Imagem: photocreo/Envato)
OMS investiga sublinhagem da Ômicron após alta de casos (Imagem: photocreo/Envato)

Em entrevista ao The Washington Post, o virologista Robert Garry estimou que o subtipo não deve ser muito pior que a versão original da Ômicron. Por enquanto, o que se sabe é que a sublinhagem da Ômicron pode se propagar com mais facilidade e resistir mais às vacinas. No entanto, mais estudos ainda precisam ser feitos.

No último dia 21, a agência de saúde do Reino Unido — UK Health Security Agency — chegou a classificar a BA.2 como uma "variante sob investigação", uma vez que, na época, cerca de 2.093 casos sequenciados de BA.2 já tinham sido registrados em um banco de dados online britânico.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos