Mercado fechado
  • BOVESPA

    117.197,82
    +967,70 (+0,83%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.845,83
    -200,75 (-0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    88,00
    +0,24 (+0,27%)
     
  • OURO

    1.724,50
    +3,70 (+0,22%)
     
  • BTC-USD

    20.127,43
    -148,68 (-0,73%)
     
  • CMC Crypto 200

    456,09
    -2,31 (-0,50%)
     
  • S&P500

    3.783,28
    -7,65 (-0,20%)
     
  • DOW JONES

    30.273,87
    -42,45 (-0,14%)
     
  • FTSE

    7.052,62
    -33,84 (-0,48%)
     
  • HANG SENG

    18.087,97
    +1.008,46 (+5,90%)
     
  • NIKKEI

    27.120,53
    +128,32 (+0,48%)
     
  • NASDAQ

    11.631,00
    +7,25 (+0,06%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,1379
    -0,0300 (-0,58%)
     

OMS fecha com farmacêutica e vacinas da monkeypox chegam em setembro no Brasil

A farmacêutica dinamarquesa Bavarian Nordic anunciou, na quarta-feira (24), que fechou o acordo de compra de doses da vacina Jynneos, intermediada pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) — que é parte da Organização Mundial da Saúde (OMS). As primeiras doses contra a varíola dos macacos (monkeypox) devem chegar em setembro aos países da América Latina, incluindo o Brasil.

"As entregas das vacinas devem começar em setembro", informa a farmacêutica, em comunicado. Anteriormente, o Ministério da Saúde informou que o Brasil deve receber cerca de 50 mil doses do imunizante contra a varíola dos macacos, o que permitirá a imunização de 25 mil pessoas, já que o esquema vacinal completo consiste em duas doses.

Após acordo entre OMS e farmacêutica, doses da vacina contra a varíola dos macacos chegam em setembro no Brasil (Imagem: SteveAllenPhoto999/Envato)
Após acordo entre OMS e farmacêutica, doses da vacina contra a varíola dos macacos chegam em setembro no Brasil (Imagem: SteveAllenPhoto999/Envato)

Vacina contra o vírus monkeypox está aprovada?

No mundo, algumas agências de saúde já aprovaram o uso emergencial da vacina Jynneos contra a varíola dos macacos. São os casos da Food and Drug Administration (FDA) nos Estados Unidos, da Health Canada (HC) e da Agência Europeia de Medicamentos (EMA) na União Europeia.

No Brasil, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) não deve analisar propriamente os dados de segurança e eficácia do imunizante, mas irá se basear nas aprovações da vacina feitas por outras agências no processo de importação do produto. A medida de dispensa de registro é usada em casos excepcionais, como ocorreu com a pandemia da covid-19.

Quem vai receber as doses da vacina contra a varíola dos macacos no Brasil?

No momento, o Ministério a Saúde já informou que as doses limitadas do imunizante contra a varíola dos macacos serão liberadas apenas para profissionais da saúde que lidam com a doença, mas ainda não foi detalhado como será feito este tipo de distinção e nem se infectologistas poderão receber o imunizante.

Por enquanto, a pasta não considera vacinar pessoas expostas a casos confirmados da doença e nem grupos que apresentam comportamento de risco para a atual onda da varíola dos macacos. No futuro, isso pode mudar, já que a doença continua a se espalhar pelo país e foi diagnosticada nos primeiros bebês.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: