Mercado abrirá em 8 h 42 min
  • BOVESPA

    113.583,01
    +300,34 (+0,27%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.598,53
    +492,82 (+0,96%)
     
  • PETROLEO CRU

    76,10
    +0,65 (+0,86%)
     
  • OURO

    1.749,80
    -2,20 (-0,13%)
     
  • BTC-USD

    42.673,79
    -1.408,46 (-3,20%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.057,79
    -43,73 (-3,97%)
     
  • S&P500

    4.443,11
    -12,37 (-0,28%)
     
  • DOW JONES

    34.869,37
    +71,37 (+0,21%)
     
  • FTSE

    7.063,40
    +11,92 (+0,17%)
     
  • HANG SENG

    24.561,75
    +352,97 (+1,46%)
     
  • NIKKEI

    30.122,90
    -117,16 (-0,39%)
     
  • NASDAQ

    15.149,00
    -45,75 (-0,30%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2923
    -0,0145 (-0,23%)
     

OMS descarta necessidade de terceira dose anticovid atualmente

·1 minuto de leitura
Imagem fornecida pela OMS mostra o diretor-geral da organização, Tedros Adhanom Ghebreyesus

A Organização Mundial da Saúde (OMS) denunciou, nesta quarta-feira (18), o avanço dos países ricos para a terceira dose da vacina anticovid e afirmou que os dados não demonstram a necessidade de administrar uma dose de reforço agora.

"Pensamos claramente que os dados atuais não indicam que as doses de reforço sejam necessárias", declarou a cientista-chefe da OMS, Soumya Swaminathan, em coletiva de imprensa.

A responsável explicou que é preciso "esperar que a ciência diga quando os reforços serão necessários, para quais grupos de pessoas e para quais vacinas".

Do ponto de vista "moral e ético", a cientista criticou que os países ricos administrem a terceira dose "enquanto o resto do mundo espera sua primeira injeção".

Os Estados Unidos anunciaram, pouco depois de suas declarações, uma campanha de reforço das vacinas da Pfizer e Moderna no final de setembro devido à preocupação das autoridades com uma queda da proteção imunológica.

O órgão regulador de medicamentos dos EUA, a FDA, ainda precisar aprovar essa dose adicional.

Israel já iniciou uma campanha semelhante para os idosos, apesar do pedido da OMS para uma moratória.

Injetar uma terceira dose agora é como "distribuir coletes salva-vidas extras para quem já tem um", enfatizou nesta quarta-feira o diretor de emergências da OMS, Mike Ryan.

O diretor-geral da organização da ONU, Tedros Adhanom Ghebreyesus, pediu aos líderes para mirarem além dos "estreitos objetivos nacionalistas".

"Neste contexto, me surpreenderam as informações de que as vacinas da J&J fabricadas e embaladas na África do Sul saem do continente e vão para a Europa", acrescentou, pedindo ao laboratório para privilegiar a África.

apo/nl/tjc/mb/aa

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos