Mercado fechado
  • BOVESPA

    101.259,75
    -657,98 (-0,65%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    38.707,72
    +55,53 (+0,14%)
     
  • PETROLEO CRU

    39,78
    -0,86 (-2,12%)
     
  • OURO

    1.903,40
    -1,20 (-0,06%)
     
  • BTC-USD

    13.272,74
    -39,39 (-0,30%)
     
  • CMC Crypto 200

    260,05
    -1,40 (-0,54%)
     
  • S&P500

    3.465,39
    +11,90 (+0,34%)
     
  • DOW JONES

    28.335,57
    -28,09 (-0,10%)
     
  • FTSE

    5.860,28
    +74,63 (+1,29%)
     
  • HANG SENG

    24.918,78
    +132,65 (+0,54%)
     
  • NIKKEI

    23.516,59
    +42,32 (+0,18%)
     
  • NASDAQ

    11.669,25
    +19,50 (+0,17%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,6639
    +0,0538 (+0,81%)
     

OMS apresenta plano de proteção dos profissionais de saúde

·1 minuto de leitura
Profissionais da saúde em centro de quarentena na cidade indiana de Nashik
Profissionais da saúde em centro de quarentena na cidade indiana de Nashik

Na linha de frente da luta contra a pandemia de covid-19, os profissionais de saúde pagam um preço elevado com sua saúde, advertiu a Organização Mundial da Saúde (OMS), que anunciou nesta quinta-feira um plano de proteção para estas pessoas. 

"A covid-19 expôs os profissionais da saúde e suas famílias a um nível de risco sem precedentes", afirmou a OMS, que destaque as estatísticas - embora imperfeitas - mostram claramente que "as taxas de infecção entre estes últimos são muito mais elevadas que entre o restante da população".

Representam quase 3% dos habitantes na grande maioria dos países, menos de 2% nos países mais pobres, e os números compilados pela OMS mostram que 14% dos casos de covid-19 envolvem profissionais da saúde.

"Em alguns países, esta proporção pode alcançar 35%", destaca um comunicado. 

Os riscos não são apenas físicos, seja pelo coronavírus, ou a violência a que os profissionais estão expostos. O estresse provocado pelo medo permanente de ficar doente, as longas horas de trabalho, a separação dos parentes para protegê-los e, às vezes, a rejeição ou hostilidade da sociedade também prejudicam seriamente sua saúde.

O plano, com cinco pontos, apresentado pela OMS recomenda estabelecer sinergias entre as estratégias destinadas a garantir a segurança dos pacientes e dos profissionais da saúde ou inclusive o desenvolvimento de programas nacionais para proteger as pessoas que trabalham na área da saúde. 

A OMS também ressalta a necessidade de proteção do grupo contra a violência no local de trabalho e de melhorar seu bem-estar psicológico.

O plano insiste na necessidade de proteger os profissionais da saúde dos perigos físicos e biológicos, em particular com a distribuição de equipamentos de proteção suficientes e o treinamento necessário para o uso correto.

vog/pz/mab/zm/fp