Mercado fechado

Omelete mais caro: calor mata 500 mil galinhas em SP e preço do ovo dispara

Marcus Couto
·1 minuto de leitura
Galinhas sofrem com o calor. (Foto: Getty Images)
Galinhas sofrem com o calor. (Foto: Getty Images)

Uma enorme mortandade de galinhas poedeiras está ocorrendo neste momento nas granjas do interior de São Paulo, em cidades chave para o abastecimento de ovos do estado. O causador dessas mortes é o forte calor, que nas últimas semanas ultrapassou os 40 graus em várias localidades.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

Segundo reportagem do UOL, que apurou junto a produtores locais, cerca de 500 mil animais já morreram em 2020 por conta das altas temperaturas, que fazem seus sensíveis organismos entrarem em colapso.

Leia também

"O forte calor faz com que a ave entre em desequilíbrio metabólico. Como ela não consegue perder temperatura, o sistema cardiorrespiratório fica sobrecarregado até que o animal morre", diz o veterinário Marcos Buin em entrevista ao UOL.

Em uma única granja, que possui cerca de 800 mil galinhas poedeiras, 50 mil morreram na última semana.

A cidade de Bastos é uma das mais afetadas. O município responde pelo maior fornecimento de ovos de São Paulo, com 36% do total.

Com essa redução drástica na produção, o preço deve começar a subir já a partir da segunda quinzena de outubro para o consumidor final. Na granja, o preço do ovo já aumentou cerca de 10%.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube