Mercado fechado
  • BOVESPA

    108.976,70
    -2.854,45 (-2,55%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.668,64
    -310,37 (-0,60%)
     
  • PETROLEO CRU

    76,28
    -1,66 (-2,13%)
     
  • OURO

    1.754,00
    +8,40 (+0,48%)
     
  • BTC-USD

    16.575,07
    +50,53 (+0,31%)
     
  • CMC Crypto 200

    386,97
    +4,32 (+1,13%)
     
  • S&P500

    4.026,12
    -1,14 (-0,03%)
     
  • DOW JONES

    34.347,03
    +152,97 (+0,45%)
     
  • FTSE

    7.486,67
    +20,07 (+0,27%)
     
  • HANG SENG

    17.573,58
    -87,32 (-0,49%)
     
  • NIKKEI

    28.283,03
    -100,06 (-0,35%)
     
  • NASDAQ

    11.782,80
    -80,00 (-0,67%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,6244
    +0,0991 (+1,79%)
     

OMC deve atacar barreiras comerciais à transição de baixo carbono, diz diretora-geral

Ngozi Okonjo-Iweala, diretora-geral da OMC

GENEBRA (Reuters) - A OMC deve enfrentar as barreiras comerciais para indústrias de baixo carbono, entre outras medidas destinadas a abordar o papel do comércio global na condução das mudanças climáticas, disse a diretora-geral da instituição, Ngozi Okonjo-Iweala, em um relatório publicado nesta segunda-feira.

O Relatório Mundial de Comércio de 2022 da OMC, publicado na cúpula do clima COP27, no Egito, diz que a maneira mais realista de fazer cortes profundos nas emissões de carbono sem reduzir os padrões de vida nos países mais ricos e prejudicar as perspectivas de desenvolvimento nos mais pobres é através do avanço de tecnologias de baixo carbono.

"A OMC tem a oportunidade de usar o momento presente para fortalecer seu papel como fórum de coordenação sobre comércio e mudanças climáticas, para abordar as barreiras da política comercial que impedem a disseminação e o uso de tecnologias de baixo carbono e para apoiar as mudanças estruturais necessárias para descarbonizar a economia global", disse ela no prefácio do relatório. "Espero que aproveitemos ao máximo esta oportunidade."

Um exemplo de como a OMC, de 164 membros, pode ajudar é cortando tarifas e outras barreiras para indústrias de baixo carbono, que tendem a ser mais altas do que para as intensivas em carbono, disse o relatório.

Uma estimativa em simulação da OMC incluída no relatório indica que a eliminação de tais medidas poderia aumentar as exportações globais de bens relacionados à energia sustentável, como painéis solares ou controles inteligentes de aquecimento, em 5% até 2030, o equivalente a 109 bilhões de dólares, e reduzir as emissões. Outra medida seria estabelecer um preço amplamente aceito para o carbono, diz o relatório.

Pela própria admissão do órgão de fiscalização do comércio global, o comércio foi "parte do problema" no passado --gerando emissões de transporte e ajudando a impulsionar um crescimento intensivo em carbono.

Quase um terço das emissões totais de dióxido de carbono do mundo foram incorporadas às exportações globais de bens e serviços em 2018, de acordo com uma estimativa do fórum de políticas da OCDE.

"Mas, no futuro, com as políticas certas em vigor, o comércio pode ser uma parte importante da solução", disse o relatório. "A cooperação comercial é fundamental para impulsionar essa transformação global."

(Por Emma Farge)