Mercado fechará em 5 h 31 min
  • BOVESPA

    121.899,44
    +1.193,53 (+0,99%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.315,50
    +486,19 (+1,00%)
     
  • PETROLEO CRU

    64,91
    +1,09 (+1,71%)
     
  • OURO

    1.838,80
    +14,80 (+0,81%)
     
  • BTC-USD

    50.697,53
    +164,98 (+0,33%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.412,76
    +54,20 (+3,99%)
     
  • S&P500

    4.155,92
    +43,42 (+1,06%)
     
  • DOW JONES

    34.267,30
    +245,85 (+0,72%)
     
  • FTSE

    7.030,46
    +67,13 (+0,96%)
     
  • HANG SENG

    28.027,57
    +308,90 (+1,11%)
     
  • NIKKEI

    28.084,47
    +636,46 (+2,32%)
     
  • NASDAQ

    13.297,75
    +197,50 (+1,51%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3924
    -0,0201 (-0,31%)
     

OMC autoriza sanções europeias contra EUA por ajudas à Boeing

·1 minuto de leitura
OMC autoriza UE a retaliar Estados Unidos por subsídios à Boeing

Membros da Organização Mundial do Comércio (OMC) autorizaram a União Europeia nesta segunda-feira (26) a impor sanções alfandegárias contra os Estados Unidos, em retaliação à ajuda concedida à fabricante de aviões norte-americana Boeing. 

Neste caso, o árbitro da OMC autorizou Bruxelas em 13 de outubro a impor sanções no valor máximo de 4 bilhões de dólares em mercadorias norte-americanas importadas a cada ano, mas essa decisão teve que ser aprovada pelos membros da organização na reunião do Órgão de Solução de Controvérsias (OSC). 

A sanção foi confirmada na segunda-feira durante reunião em Genebra, segundo um funcionário da OMC. 

A fabricante europeia de aeronaves Airbus e sua concorrente norte-americano Boeing - e por meio deles, Bruxelas e Washington - enfrentam desde outubro de 2004 na OMC, que atua como juiz de paz no comércio internacional. 

O objeto da controvérsia é a ajuda pública concedida aos dois grupos, considerado ilegal pela outra parte. 

A decisão em benefício da UE segue-se à autorização concedida no ano passado aos Estados Unidos para impor tarifas de cerca de 7,5 bilhões de dólares sobre bens e serviços europeus importados a cada ano, a maior sanção já imposta pela OMC.

apo-zap/aro/bh/me/mis/cc