Mercado fechado
  • BOVESPA

    113.282,67
    -781,69 (-0,69%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.105,71
    -358,56 (-0,70%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,95
    +0,65 (+0,89%)
     
  • OURO

    1.750,60
    +0,80 (+0,05%)
     
  • BTC-USD

    42.739,93
    +795,11 (+1,90%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.067,20
    -35,86 (-3,25%)
     
  • S&P500

    4.455,48
    +6,50 (+0,15%)
     
  • DOW JONES

    34.798,00
    +33,18 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.051,48
    -26,87 (-0,38%)
     
  • HANG SENG

    24.192,16
    -318,82 (-1,30%)
     
  • NIKKEI

    30.248,81
    +609,41 (+2,06%)
     
  • NASDAQ

    15.319,00
    +15,50 (+0,10%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,2556
    +0,0306 (+0,49%)
     

Olimpíada: Medina terá rival tradicional e perigoso nas oitavas do surfe

·2 minuto de leitura

Com a disputa da repescagem na madrugada deste domingo, ficaram definidos os confrontos das oitavas de final do torneio olímpico do surfe. E o chaveamento de baterias colocou Gabriel Medina, um dos favoritos ao ouro, diante de um velho e perigoso conhecido: o australiano Julian Wilson será o adversário nas ondas de Tsurigasaki, já na madrugada de segunda-feira (1h36 no horário de Brasíia).

Medina e Julian nutrem uma rivalidade de longa data no circuito mundial e já se enfrentaram em cinco finais, com o australiano levando vantagem de 3 a 2. Ele venceu os três primeiros duelos, em Portugal (2012), Havaí (2014) e Taiti (2017). Medina se recuperou nos dois encontros mais recentes, dando o troco sobre Julian em Portugal (2017) e Havaí (2018). A disputa mais marcante entre eles foi justamente a primeira. Em uma final muito apertada, nas ondas de Supertubos, em Portugal (2012), Julian venceu por 16,26 a 15,37 pontos. O julgamento da bateria foi bastante polêmico, e Medina reclamou demais dos juízes, chorando na praia ao saber que havia sido derrotado.

A chave de baterias não é fácil para Medina. Se passar por Julian, ele enfrenta o vencedor de Michel Bourez (FRA) e Ramzi Boukhiam (MAR) nas quartas, no que pode até ser um confronto menos complicado. Nas semifinais, porém, ele poderia ter pela frente o japonês Kanoa Igarashi ou os americanos John John Florence e Kolohe Andino, que se enfrentam nas oitavas de final.

Na teoria, Italo Ferreira teve mais sorte no chaveamento. Nas oitava, ele enfrenta o neozelandês Billy Stairmand às 2h12 da madruga de segunda-feira. Se passar, encara o vencedor do duelo entre o japonês Hiroto Ohhara e o peruano Miguel Tudela.

No feminino, Silvana Lima e Tatiana Weston-Webb caíram do mesmo lado de uma chave com pedreiras, e podem se enfrentar nas semifinais. Silvana entra na água primeiro, às 22h de hoje, e é favorita contra a portuguesa Teresa Bonvalot. Tatiana vem a seguir contra a japonesa Amuro Tsuzuki.

Se vencerem, as brasileiras não devem ter vida fácil nas quartas. Silvana teria pela frente a vencedora do duelo entre a americana Carissa Moore, tetracampeã mundial, e a peruana Sofia Mulanovich, dona de um título. Já Tatiana duelaria contra a australiana Sally Fitzgibbons ou a francesa Pauline Ado.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos