Mercado abrirá em 8 h 15 min
  • BOVESPA

    129.513,62
    +1.085,64 (+0,85%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.558,32
    +387,54 (+0,77%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,42
    +0,12 (+0,16%)
     
  • OURO

    1.776,80
    +0,10 (+0,01%)
     
  • BTC-USD

    34.724,69
    +2.193,87 (+6,74%)
     
  • CMC Crypto 200

    835,70
    +49,09 (+6,24%)
     
  • S&P500

    4.266,49
    +24,65 (+0,58%)
     
  • DOW JONES

    34.196,82
    +322,58 (+0,95%)
     
  • FTSE

    7.109,97
    +35,91 (+0,51%)
     
  • HANG SENG

    29.210,31
    +327,85 (+1,14%)
     
  • NIKKEI

    29.098,03
    +222,80 (+0,77%)
     
  • NASDAQ

    14.358,75
    +4,50 (+0,03%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,8657
    +0,0034 (+0,06%)
     

OIA vê déficit global de açúcar de 3,5 mi t em 2020/21

·2 minuto de leitura
Plantação de cana-de-açúcar do Grupo Moreno em Ribeirão Preto, interior de São Paulo

LONDRES (Reuters) - A Organização Internacional do Açúcar (OIA) disse nesta terça-feira que projeta um déficit global de açúcar de 3,5 milhões de toneladas na safra 2020/21, devido à redução nas perspectivas de produção.

O órgão intergovernamental havia previsto antes um déficit bem menor para a atual temporada, de 724 mil toneladas.

A OIA, em atualização trimestral de seus números, estimou que a produção global na safra 2020 (outubro a setembro) deve alcançar 171,1 milhão de toneladas, abaixo da previsão anterior de 173,5 milhões.

Houve revisões para baixo em Tailândia (8,2 milhões, de 8,7 milhões antes), Índia (31 milhões contra 31,5 milhões) e União Europeia (16,3 milhões versus 16,8 milhões).

O consumo na temporada 2020/21 foi visto em 174,6 milhões de toneladas, levemente acima da previsão anterior de 174,2 milhões, agora com alta de 2,9% na comparação com a safra passada.

"A perspectiva para o ciclo 2020/21 deve incorporar a imposição de novas medidas de "lockdown" em alguns países, particularmente na Europa", disse a OIA, ao destacar que as medidas de isolamento adotadas contra o vírus limitaram o consumo em 2019/20.

"No entanto, esses períodos de ´lockdown´ devem ser mais curtos e menos restritivos", apontou o relatório.

A OIA também estimou que deve haver um superávit global de 1,9 milhão de toneladas na safra 2019/20, para a qual antes esperava um leve déficit de 136 mil toneladas.

A mudança deve-se em grande parte por uma revisão para cima na produção do Brasil em 2019/20, para 39,8 milhões de toneladas, de 37,4 milhões antes.

A OIA destacou que neste ano a safra do Brasil avançou mais rápido do que se esperava, o que fez com que mais produção viesse da safra 2019/20, que termina em 30 de setembro, do que da atual temporada.

(Por Nigel Hunt)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos