Mercado fechado
  • BOVESPA

    128.767,45
    -497,51 (-0,38%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    50.129,88
    -185,81 (-0,37%)
     
  • PETROLEO CRU

    73,08
    +0,02 (+0,03%)
     
  • OURO

    1.778,90
    +1,50 (+0,08%)
     
  • BTC-USD

    34.015,32
    +1.394,64 (+4,28%)
     
  • CMC Crypto 200

    811,10
    +16,77 (+2,11%)
     
  • S&P500

    4.246,44
    +21,65 (+0,51%)
     
  • DOW JONES

    33.945,58
    +68,61 (+0,20%)
     
  • FTSE

    7.090,01
    +27,72 (+0,39%)
     
  • HANG SENG

    28.437,31
    +127,55 (+0,45%)
     
  • NIKKEI

    28.862,53
    -21,60 (-0,07%)
     
  • NASDAQ

    14.280,50
    +22,25 (+0,16%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,9152
    -0,0046 (-0,08%)
     

OIA reduz projeção para déficit global de açúcar em 2020/21

·1 minuto de leitura
Trabalhador carrega pacotes de açúcar em mercado em Kolkata, na Índia

LONDRES (Reuters) - A Organização Internacional do Açúcar (OIA) projetou nesta sexta-feira que o déficit global de açúcar deve ser menor que o estimado antes, com a revisão guiada principalmente por um consumo mais baixo.

O órgão intergovernamental, em revisão trimestral, disse estimar um déficit global de 3,1 milhões de toneladas na atual temporada 2020/21, ante uma previsão de 4,8 milhões de toneladas em fevereiro.

A OIA espera que o consumo global na safra 2020/21 (de outubro a setembro) seja de 172,4 milhões de toneladas, abaixo da estimativa anterior de 173,8 milhões, mas ainda 1,2% acima da temporada anterior.

"O consumo foi reduzido nessa avaliação para refletir o aumento nos casos de Covid-19 na Índia e no Brasil e restrições a viagens", disse a OIA.

A produção global esperada em 2020/21 foi levemente ampliada para 169,2 milhões de toneladas, da previsão anterior de 169 milhões de toneladas, com revisão para cima no centro-sul do Brasil, que foi parcialmente compensada por menores números para Tailândia e Cuba.

O centro-sul do Brasil deve produzir 38,1 milhões de toneladas, segundo a projeção da OIA, ante 36,5 milhões estimados antes, refletindo maior alocação de cana para fabricação de açúcar.

A cana pode ser usada para produção tanto do adoçante quanto de etanol, e algumas usinas podem alternar entre os dois, dependendo de qual é mais lucrativo.

(Por Nigel Hunt)

((Tradução Redação São Paulo, 55 11 5644 7519)) REUTERS LC

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos