Mercado fechado

Oi opera em alta na bolsa após notícia de venda de participação na Unitel

Juliano Passaro
Oi opera em alta na bolsa após notícia de venda de participação na Unitel

A Oi (OIBR3) apresenta uma forte valorização na B3 nesta quinta-feira (23). Os papéis da empresa de telecomunicações chegaram a registrar uma alta de 9,18% na Bolsa de Valores de São Paulo. Dessa forma, cada título da empresa chegou a ser negociado a R$ 1,07 por volta das 11h07 desta manhã.

O crescimento nos papéis ocorreu depois que uma notícia sobre a venda da participação da empresa brasileira na Unitel, por US$ 1 bilhão, foi veiculada no jornal "O Globo". A Oi teria firmado a venda de sua participação de 25% na angolana Unitel por aproximadamente US$ 1 bilhão (R$ 4,17 bilhões na cotação atual).

Notícia sobre a venda da participação na Unitel

Segundo o colunista "Lauro Jardim", na próxima sexta-feira (24) serão depositados US$ 750 milhões no caixa da Oi. De acordo com o contrato firmado, a compradora Sonangol, empresa petrolífera também angolana, pagará o restante em até 90 dias.

Veja também: Oi apresenta geração de caixa negativa em R$ 375 milhões em novembro

Em novembro de 2019, a companhia apresentou geração de caixa operacional líquida negativa em R$ 375 milhões. Sendo assim, a empresa terminou o mês com saldo final de caixa financeiro de R$ 2,3 bilhões, uma queda de 14,3% em relação a outubro.

A tele brasileira, que está em processo de recuperação judicial desde 2016, divulgou os demonstrativos de novembro de 2019 na última terça-feira (21).

A companhia anunciou que em novembro seus investimentos chegaram ao valor de R$ 596 milhões, com baixa de 32% em relação ao mês anterior. Os recebidos diminuíram R$ 106 milhões e os pagamentos tiveram uma alta de R$ 98 milhões.

O aumento é relacionado a menor compensação de créditos fiscais e ao aumento de gastos com pessoal por conta do pagamento da primeira parcela do 13º salário aos colaboradores que entraram na empresa no ano passado.

Contatada pelo SUNO Notícias, a Oi ainda não havia se posicionado acerca das informações divulgadas pelo jornal "O Globo" até a publicação desta matéria.