Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.672,76
    -3.755,42 (-3,28%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    52.402,73
    -283,30 (-0,54%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,05
    +0,09 (+0,11%)
     
  • OURO

    1.770,00
    -0,50 (-0,03%)
     
  • BTC-USD

    64.178,86
    +2.461,15 (+3,99%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.481,22
    +17,87 (+1,22%)
     
  • S&P500

    4.519,63
    +33,17 (+0,74%)
     
  • DOW JONES

    35.457,31
    +198,70 (+0,56%)
     
  • FTSE

    7.217,53
    +13,70 (+0,19%)
     
  • HANG SENG

    25.787,21
    +377,46 (+1,49%)
     
  • NIKKEI

    29.215,52
    +190,06 (+0,65%)
     
  • NASDAQ

    15.400,50
    +2,00 (+0,01%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5081
    +0,1166 (+1,82%)
     

Oi confirma venda da V.Tal para fundos de investimento do BTG Pactual

·2 minuto de leitura

Um acordo entre a Oi, os fundos do banco BTG Pactual e a Globenet (provedora de cabos submarinos vendida pela Oi ao BTG em 2014) confirma a venda da V.Tal, antiga InfraCo, empresa de infraestrutura de fibra óptica que vai operar como rede neutra no atacado. O contrato permitirá que a instituição financeira obtenha 57,9% do capital social da V.tal.

O anúncio é uma formalidade necessária para dar prosseguimento ao processo, mas a conclusão da operação depende da aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). O leilão foi realizado em julho deste ano e teve proposta única do BTG.

Imagem: Reprodução/VisualHunt/Pacific Northwest National Laboratory (PNNL)
Imagem: Reprodução/VisualHunt/Pacific Northwest National Laboratory (PNNL)

No total, R$ 12,923 bilhões serão pagos à Oi. Isso compreende as parcelas e o valor justo da incorporação. O valor pode sofrer ajustes com base em "métricas de desempenho da SPE InfraCo, financeiras e operacionais, conforme o plano de negócios (como endividamento, capital de giro, número de HPs e HCs, Opex e Capex, entre outros), acordadas entre a Oi e o investidor (a Globenet)".

Parcelas

A parcela primária será de R$ 3,276 bilhões, que correspondem à subscrição e à integralização de novas ações ordinárias. Isso representa 14,67% do capital social votante da empresa. Já a parcela secundária é de R$ 6,510 bilhões (29,16% do capital social).

Segundo o contrato, se não houver dívida intracompanhia com a Oi no momento do fechamento da transação, o valor pode ser reduzido em R$ 1,5 bilhão. Esse montante seria realocado ao "componente secundário" e adicionaria ações da V.tal (que atingiria 35,88% do capital social).

Imagem: Divulgação/BTG Pactual
Imagem: Divulgação/BTG Pactual

Haverá, ainda, uma parcela primária adicional 90 dias após a data de fechamento e antes da incorporação da unidade pelo BTG. Serão R$ 1,258 bilhão (5,64% do capital social da nova empresa). Após essa parcela primária adicional, a Globenet será incorporada pela V.tal. Isso vai resultar na emissão de ações no valor de R$ 1,518 bilhão (6,81% do capital social). De acordo com a Oi, a precificação foi atestada por avaliação econômico-financeira independente.

Outros R$ 360 milhões (1,61% do capital social) serão pagos em outra parcela primária adicional até 90 dias após o fechamento e imediatamente após a incorporação do Globenet. Ao fim do processo, os novos donos da V.Tal terão 57,9% do capital social votante e a Oi ficará com o restante.

Essa é a última venda no plano de recuperação judicial da Oi. Em 2020, a empresa vendeu torres móveis, data center e unidade móvel. Todas ainda esperam autorização das agências reguladoras.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos