Mercado fechará em 2 h 8 min
  • BOVESPA

    119.709,18
    -352,81 (-0,29%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.975,40
    +107,78 (+0,22%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,39
    +0,04 (+0,07%)
     
  • OURO

    1.781,00
    -12,10 (-0,67%)
     
  • BTC-USD

    53.885,78
    -1.948,09 (-3,49%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.261,72
    +18,67 (+1,50%)
     
  • S&P500

    4.135,97
    -37,45 (-0,90%)
     
  • DOW JONES

    33.793,13
    -344,18 (-1,01%)
     
  • FTSE

    6.938,24
    +42,95 (+0,62%)
     
  • HANG SENG

    28.755,34
    +133,42 (+0,47%)
     
  • NIKKEI

    29.188,17
    +679,62 (+2,38%)
     
  • NASDAQ

    13.794,00
    -125,25 (-0,90%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5620
    -0,1400 (-2,09%)
     

Odebrecht anuncia atual presidente do conselho como novo presidente do grupo

BRUNA NARCIZO
·2 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O antigo Grupo Odebrecht, recentemente rebatizado de Novonor, anunciou nesta quinta-feira (1º) que José Mauro Carneiro da Cunha é o novo diretor-presidente da empresa. Ele substituirá Ruy Sampaio. Carneiro da Cunha ocupava o posto de presidente do conselho de administração do grupo, que passa a ser exercido por Héctor Núnez. Executivo experiente, Núnez foi vice-presidente de operações da Coca-Cola em vários países e também presidiu o Wallmart e a Ri Happy no Brasil. Desde novembro de 2020 o grupo passava por um processo sucessório comandado pela consultoria Korn Ferry, que foi contratada para encontrar o novo presidente do conglomerado. Na época, a consultoria recebeu a indicação de três nomes, que já atuam na empresa: Marco Rabello, principal executivo financeiro da holding da família; Juliana Baiardi, atual presidente da empresa de etanol Atvos; e Roberto Simões, presidente da petroquímica Braskem. Executivos e pessoas ligadas à empresa, que pediram para que seus nomes fossem mantidos em sigilo, contam que executivos avaliados anteriormente não aceitaram o desafio. Carneiro da Cunha é considerado mais um aliado de Emílio Odebrecht, patriarca da família e o mandato dele também é visto como tampão, assim como era o de Sampaio. Emílio deixou o comando do conselho em junho de 2018 para sinalizar ao mercado que a família se manteria afastada dos negócios. Ele foi condenado na ação do sítio de Atibaia, acusado de ter financiado reforma do imóvel frequentado pelo ex-presidente Lula. Ele está recorrendo da decisão e, por isso, ainda não começou a cumprir a sua pena. Emilio também firmou acordo de colaboração premiada com a força-tarefa da Operação Lava Jato. O atual presidente do grupo, Ruy Lemos Sampaio, é seu amigo. O filho primogênito e ex-presidente do grupo, Marcelo Odebrecht, segue afastado da empresa. Pai e filho romperam relações no auge das investigações da Lava Jato, quando Marcelo estava preso na Polícia Federal, em Curitiba. Atualmente, a empresa e Marcelo travam uma série de batalhas judiciais. O novo diretor-presidente também terá que lidar com a recuperação judicial do grupo, considerada a maior da história do Brasil, com dívidas totais estimadas em R$ 98,5 bilhões.