Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.035,17
    -2.221,19 (-1,98%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.592,91
    +282,64 (+0,64%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,66
    -1,87 (-2,94%)
     
  • OURO

    1.733,00
    -42,40 (-2,39%)
     
  • BTC-USD

    44.955,39
    -2.268,41 (-4,80%)
     
  • CMC Crypto 200

    912,88
    -20,25 (-2,17%)
     
  • S&P500

    3.811,15
    -18,19 (-0,48%)
     
  • DOW JONES

    30.932,37
    -469,64 (-1,50%)
     
  • FTSE

    6.483,43
    -168,53 (-2,53%)
     
  • HANG SENG

    28.980,21
    -1.093,96 (-3,64%)
     
  • NIKKEI

    28.966,01
    -1.202,26 (-3,99%)
     
  • NASDAQ

    12.905,75
    +74,00 (+0,58%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7583
    +0,0194 (+0,29%)
     

Ocupação de UTIs cai pela primeira vez desde dezembro em SP

Colaboradores Yahoo Notícias
·1 minuto de leitura
Unconscious and intubated Covid-19 patients are treated in Vila Penteado Hospital's ICU, in the Brasilandia neighborhood of Sao Paulo, on June 21, 2020. According ta a study published in June 21st, Brazil's public hospitals, like Vila Penteado, had almost 40% death rates from the new coronavirus, the double from private hospitals. Brasilandia is one of the neighborhhods in Sao Paulo with highest number of deaths from Covid-19 (Photo by Gustavo Basso/NurPhoto via Getty Images)

A taxa de ocupação nas Unidades de Terapia Intensiva (UTI) dos hospitais no estado de São Paulo registrou a primeira queda desde dezembro, depois da explosão de internações por coronavírus em decorrência das aglomerações nas festas de fim de ano.

Segundo o jornal Folha de S.Paulo, a evolução da taxa média de ocupação nas UTIs caiu de 71% para 69%. O percentual, no entanto, ainda preocupa. Em 25 de dezembro, a lotação chegava a 62%.

Leia também

O primeiro salto foi em 8 de janeiro (64%), seguindo em alta em 15 de janeiro (68%), chegando a um pico em 22 de janeiro (71%), e registrando ligeira queda agora, mas ainda em um patamar alto.

Nos hospitais privados, a ocupação saltou de 67% em dezembro para 75% em 22 de janeiro (atualmente, está em 73%). Na rede pública, passou de 61% em dezembro para 67% em 22 de janeiro, caindo agora para 65%.

Os números confirmam os dados de ligeira queda registrados em instituições como Beneficência Portuguesa, HCor e Hospital Albert Einstein.

Pesquisa ainda parcial feita pelo SindHosp, que representa hospitais da rede privada de São Paulo, mostra que a ocupação de leitos clínicos para a Covid-19 ficou estabilizada, mas ainda em um patamar alto: 46% de 60 hospitais consultados estão com lotação acima de 81% nesse tipo de internação.