Mercado fechado

Ocupação de leitos municipais de UTI em São Paulo chega a 48%; Covas nega segunda onda

·2 minuto de leitura
A COVID-19-infected patient is seen at the Intensive Care Unit, in the Emilio Ribas hospital in Sao Paulo, Brazil on September 30, 2020. - On October 10, Brazil passed the bleak marker of 150,000 deaths from Covid-19, the health ministry said, as the rate of coronavirus infections continues to slow in the South American country. (Photo by NELSON ALMEIDA / AFP) (Photo by NELSON ALMEIDA/AFP via Getty Images)
Paciente com Covid-19 no Hospital Emílio Ribas, em São Paulo (Foto: Nelson Almeida/AFP via Getty Images)

O índice de leitos de Unidades de Terapia Intensiva municipais ocupados por pacientes infectados pela Covid-19 está em 48% na cidade de São Paulo. Segundo informações da GloboNews, o número é o maior registrado desde 10 de agosto, quando o índice atingiu 50%.

A taxa de ocupação aumentou 15% na última semana, comparada com os sete dias anteriores. Apesar dos números, as autoridades do município negam que haja uma segunda onda em São Paulo. Nesta quinta-feira, 19, o prefeito Bruno Covas descartou que haja um lockdown na cidade e classificou os números como “estáveis”.

David Uip, infectologista e integrante do Centro de Contingência do Coronavírus, afirma que o aumento do número de casos é um agravamento da primeira onda que afetou o estado de São Paulo.

Entre 5 e 11 de novembro, a média de ocupação de leitos de UTI por pacientes com coronavírus era de 34%. Entre 12 e 18 de novembro, subiu para 39%. O dado inclui hospitais públicos e privados. O cálculo foi feito pela GloboNews com base nos dados da Secretaria Municipal de Saúde.

Leia também

Segundo a emissora, os leitos em hospitais particulares com leitos alugados pela prefeitura, o número cresceu ainda mais. Nesta quarta, o índice de ocupação chegou a 57%, a maior nos últimos dois meses. Em maio, a ocupação chegou a ser de 92% nesse tipo de leito.

De acordo com dados do Sistema de Monitoramento Inteligente de São Paulo, no momento há 394 pessoas internadas em UTI nos hospitais municipais. Entre elas, 139 estão com Covid-19. Outras 255 são consideradas como casos suspeitos. Nas enfermarias, 280 estão internados por Covid-19, sendo 94 casos confirmados e 186 suspeitos. O hospital com mais internados com coronavírus é a o Hospital Municipal da Brasilândia, com 129 pacientes na UTI e 72 na enfermaria.