Mercado abrirá em 8 h 11 min
  • BOVESPA

    111.439,37
    -2.354,63 (-2,07%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.307,71
    -884,59 (-1,69%)
     
  • PETROLEO CRU

    71,21
    -0,76 (-1,06%)
     
  • OURO

    1.748,20
    -3,20 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    45.673,83
    -2.143,75 (-4,48%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.142,09
    -83,44 (-6,81%)
     
  • S&P500

    4.432,99
    -40,76 (-0,91%)
     
  • DOW JONES

    34.584,88
    -166,42 (-0,48%)
     
  • FTSE

    6.963,64
    -63,84 (-0,91%)
     
  • HANG SENG

    23.955,18
    -965,58 (-3,87%)
     
  • NIKKEI

    30.500,05
    +176,75 (+0,58%)
     
  • NASDAQ

    15.223,00
    -103,00 (-0,67%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,1883
    -0,0111 (-0,18%)
     

Observatório Chandra retoma operações após falha em instrumento científico

·2 minuto de leitura

Recentemente, o instrumento Low Energy Transmission Grating (LETG), do observatório de raios-X Chandra, apresentou uma falha que resultou na suspensão temporária das operações científicas do observatório. Felizmente, o problema foi resolvido e a NASA anunciou que o Chandra retomou suas operações científicas. O ocorrido está sendo investigado.

A falha aconteceu durante a preparação para uma série de observações, que seriam feitas no dia 31 de agosto com o LETG. Naquele dia, o movimento para o instrumento entrar na posição de operação, que é necessário para interceptar o caminho dos raios, aconteceu em uma velocidade acima do normal. Com isso, o software de voo do Chandra identificou que o movimento do instrumento para entrar na posição falhou.

Junto do telescópio Hubble, Spitzer e do obseratório Compton, o Chandra compõe o grupo de Grandes Observatórios da NASA (Imagem: Reprodução/NASA)
Junto do telescópio Hubble, Spitzer e do obseratório Compton, o Chandra compõe o grupo de Grandes Observatórios da NASA (Imagem: Reprodução/NASA)

Depois, os movimentos de outros componentes foram suspensos. Como resultado, algumas observações foram feitas com o instrumento LETG na posição necessária, mesmo sem precisar dos recursos dele. Passadas algumas horas, ocorreu uma nova comunicação do observatório com a rede Deep Space Network, que foi quando a equipe do Centro de Controle de Operações foi alertada sobre o que havia acontecido e, assim, interrompeu as observações.

Análises realizadas posteriormente mostraram que, no fim, o LETG foi movido com sucesso à posição de operação, e as observações sem o instrumento foram retomadas no dia 2 de setembro. Agora, o problema com o tempo do movimento do componente está sendo investigado antes de novas observações serem feitas com os instrumentos LETG ou com o High Energy Transmission Grating.

O observatório de raios-X Chandra foi lançado em 1999 com o ônibus espacial Columbia. Hoje, com mais de 20 anos de atividades, o Chandra permite que cientistas de todo o mundo consigam imagens de raios-X de ambientes exóticos no espaço para, assim, buscar respostas de perguntas fundamentais sobre a origem, evolução e o futuro do universo.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos