Mercado fechará em 1 h 45 min
  • BOVESPA

    119.627,06
    -434,93 (-0,36%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.980,79
    +113,17 (+0,23%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,06
    -0,29 (-0,47%)
     
  • OURO

    1.780,90
    -12,20 (-0,68%)
     
  • BTC-USD

    53.519,01
    -2.280,81 (-4,09%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.254,24
    +11,19 (+0,90%)
     
  • S&P500

    4.135,65
    -37,77 (-0,91%)
     
  • DOW JONES

    33.805,95
    -331,36 (-0,97%)
     
  • FTSE

    6.938,24
    +42,95 (+0,62%)
     
  • HANG SENG

    28.755,34
    +133,42 (+0,47%)
     
  • NIKKEI

    29.188,17
    +679,62 (+2,38%)
     
  • NASDAQ

    13.711,50
    -207,75 (-1,49%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5597
    -0,1423 (-2,12%)
     

Observações da NASA mostram que humanos estão desequilibrando energia da Terra

Natalie Rosa
·2 minuto de leitura

De acordo com informações da NASA, as atividades humanas vêm reduzindo o "orçamento" de energia da Terra, que vive em uma constante tentativa de equilibrar o fluxo de energia tanto dentro quanto fora do sistema do planeta.

A agência espacial norte-americana diz que, quando a energia radiante entra no sistema da Terra a partir da luz solar, parte dela reflete da superfície do planeta ou da atmosfera de volta ao espaço. Então, o restante é absorvido, aquecendo a Terra, mas eventualmente essa energia radiante acaba indo para o espaço, sendo então reabsorvida por nuvens e gases de efeito estufa na atmosfera, o que provoca o aquecimento excessivo.

Segundo a NASA, a adição de mais componentes que absorvem a radiação, como os gases de efeito estufa, ou ainda remoção daqueles que refletem a radiação em forma de aerossóis, provocam o desequilíbrio do planeta. A descoberta foi feita através de um modelo climático, que confirmou essas previsões com as observações diretas pela primeira vez.

<em>Imagem: Reprodução/NASA</em>
Imagem: Reprodução/NASA

Ryan Kramer, pesquisador da NASA, diz que este é o primeiro cálculo da energia radiante da Terra através de observações globais, contabilizando também dados sobre efeitos de aerossóis e de gases de efeito estufa. O cientista conta ainda que é esta uma prova direta de que as atividades humanas estão provocando tal gasto excessivo de energia do planeta.

Para fazer o estudo, os cientistas usaram uma nova técnica que analisa dados de vapor de água, nuvens, temperatura e o albedo (coeficiente de reflexão) da superfície, calculando o quanto é provocado por humanos e o quanto é parte de um processo natural. Então, os pesquisadores chegaram à conclusão de que a atividade humana fez com que a força radioativa na Terra apresentasse um aumento de 0,5 watts por metro quadrado, entre os anos de 2003 a 2018.

Parte desse aumento se deve à emissão de gases de efeito estufa que vêm da geração de energia, do transporte e da produção industrial, além da redução da reflexão por aerossóis, o que vem provocando o desequilíbrio de energia na Terra. O método vai ajudar os cientistas no futuro a criar projeções em relação ao clima.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: