Obama diz que não aumentar teto da dívida trará "consequências catastróficas"

Washington, 5 jan (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, disse neste sábado que haverá "consequências catastróficas" para a economia global se o Congresso não elevar a tempo o teto da dívida do país, e assegurou que não fará concessões nessa batalha.

Em sua mensagem radiofônica semanal, Obama se referiu ao grande desafio que o Congresso americano tem pela frente: o limite da dívida autorizada pelo Congresso, que é de US$ 16,39 trilhões, valor ultrapassado na segunda-feira passada.

O Congresso tem agora cerca de dois meses para aumentar este limite e evitar que o país declare moratória. Os republicanos buscam condicionar qualquer acordo a novos cortes nos gastos públicos, algo que a Casa Branca rejeita.

"Algo que não estou disposto a fazer concessões é se o Congresso deve pagar ou não a dívida de uma conta que eles mesmos acumularam", garantiu Obama.

"Se o Congresso se negar a conceder aos Estados Unidos a capacidade de pagar suas contas a tempo, as consequências para toda a economia global poderiam ser catastróficas", advertiu.

O líder lembrou que "a última vez que o Congresso ameaçou tomar essa linha de conduta", em 2011, "toda nossa economia sofreu por isso".

"Nossas famílias e nossos negócios não podem fazer frente novamente a esse jogo tão perigoso", acrescentou. "Nossa economia não pode fazer frente durante esse processo a mais enfrentamentos prolongados nem a crise fabricadas", criticou.

A Casa Branca procura formas de evitar que se repitam os inflamados debates de 2011 no Congresso, que conduziram à perda do triplo A na classificação da dívida americana pela primeira vez na história.

Na ocasião, a disputa foi resolvida com uma nova alta do endividamento, embora o Congresso tenha adiado a solução mais ampla sobre a questão da dívida e do déficit fiscal para depois da eleição de novembro de 2012.

Obama procurou separar as disputas em torno do orçamento deficitário dos EUA e do teto do endividamento nacional, mas os republicanos insistem em vinculá-las, argumentando que não se resolverá a dívida se o orçamento não for ajustado.

A dívida nacional dos EUA é atualmente maior que o Produto Interno Bruto do país. EFE

cotações recentes

 
Cotações recentes
Símbolo Preço Variação % Var 
Seus tickers vistos mais recentemente aparecerão aqui automaticamente se você digitou um ticker no campo "Inserir símbolo/empresa" na parte inferior deste módulo.
É necessário permitir os cookies do seu navegador para ver as cotações mais recentes.
 
Entre para ver as cotações nos seus portfólios.

Resumo do Mercado

  • Moedas
    Moedas
    NomePreçoVariação% Variação
    3,2318-0,002-0,06%
    USDBRL=X
    3,6490-0,0057-0,16%
    EURBRL=X
    0,8872+0,0028+0,32%
    USDEUR=X
  • Commodities
    Commodities
    NomePreçoVariação% Variação

Destaques do Mercado

  • Líderes em Volume
    Líderes em Volume
    NomePreçoVariação% Variação
    12,67+0,32+2,59%
    PETR4.SA
    3,87+0,08+2,11%
    GOAU4.SA
    3,73+0,12+3,32%
    USIM5.SA
    15,81+0,24+1,54%
    VALE5.SA
    8,55+0,01+0,12%
    ITSA4.SA
  • Altas %
    Altas %
    NomePreçoVariação% Variação
    3,00+0,65+27,66%
    VULC3.SA
    2,65+0,54+25,59%
    HAGA4.SA
    1.000,01+197,80+24,66%
    JPPC11.SA
    8,08+1,58+24,31%
    LUPA3.SA
    17,99+3,21+21,72%
    PATI4.SA
  • Baixas %
    Baixas %
    NomePreçoVariação% Variação
    7,26-1,24-14,59%
    ENMT3.SA
    2,09-0,22-9,52%
    FJTA3.SA
    10,10-1,00-9,01%
    CREM3.SA
    2,43-0,23-8,65%
    CTKA4.SA
    1,27-0,11-7,97%
    IDVL3.SA