Mercado fechado

OAB pede ao BC revogação de tarifa do cheque especial

Estevão Taiar e Isadora Peron

Nova regra estabeleceu a cobrança sobre a disponibilização de limites acima de R$ 500 A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) divulgou ofício nesta quarta-feira em que pede ao Banco Central (BC) a revogação da cobrança de tarifa no cheque especial.

“A previsão de cobrança pela mera disponibilização do serviço fragiliza a proteção do consumidor”, diz o documento endereçado ao presidente do BC, Roberto Campos Neto. O texto é assinado pelo presidente da OAB, Felipe Santa Cruz, e pelo presidente da Comissão Nacional de Estudos Constitucionais do órgão, Marcus Vinicius Furtado Coêlho.

Em novembro, o Conselho Monetário Nacional (CMN) estabeleceu a cobrança de tarifa de 0,25% sobre limites acima de R$ 500 no cheque especial.

Na avaliação da OAB, o consumidor “não pode ficar sujeito à cobrança de tarifa pela disponibilização de cheque especial, independentemente da efetiva utilização do serviço”.

“Tal previsão claramente coloca o consumidor em uma situação de desvantagem exagerada, ao arcar com um gravame por algo de que não usufruiu, o que desequilibra a relação contratual”, afirma o órgão.

A OAB solicita a Campos Neto que tome “as medidas cabíveis para revogar a cobrança prevista em tal dispositivo”.