Mercado fechará em 48 mins
  • BOVESPA

    119.572,25
    -1.669,38 (-1,38%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    45.609,96
    -848,06 (-1,83%)
     
  • PETROLEO CRU

    52,90
    +0,54 (+1,03%)
     
  • OURO

    1.841,00
    +11,10 (+0,61%)
     
  • BTC-USD

    37.058,27
    +616,53 (+1,69%)
     
  • CMC Crypto 200

    734,37
    +19,17 (+2,68%)
     
  • S&P500

    3.801,49
    +33,24 (+0,88%)
     
  • DOW JONES

    30.985,53
    +171,27 (+0,56%)
     
  • FTSE

    6.712,95
    -7,70 (-0,11%)
     
  • HANG SENG

    29.642,28
    +779,51 (+2,70%)
     
  • NIKKEI

    28.633,46
    +391,25 (+1,39%)
     
  • NASDAQ

    12.955,75
    +153,50 (+1,20%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4891
    +0,0938 (+1,47%)
     

O ‘trem bitcoin’ segue acelerando, e passa dos US$ 41 mil

Marcus Couto
·1 minuto de leitura
Bitcoin. (Foto: Getty Images)
Bitcoin. (Foto: Getty Images)

A tendência de valorização do bitcoin, a maior das criptomoedas digitais, continuou nesta sexta-feira (8), com a cotação superando a marca dos US$ 41 mil, um recorde inédito.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

Neste início de ano, a criptomoeda continuou a quebrar recordes, um atrás do outro, depois de já no final de 2020 iniciar um processo de valorização que quebrou os recordes anteriores de 2017.

Leia também:

Agora, com a cotação atual, analistas se questionam se o mercado está às vésperas de alguma grande correção, quando o preço recua repentinamente em resposta a ganhos extraordinários.

Segundo o banco de investimento JP Moran, no entanto, há ainda espaço para muita valorização, pelo menos no longo prazo.

O banco estima que os investimentos totais em bitcoins podem se aproximar aos vistos no ouro. Nesse caso, a cotação se aproximaria de impressionantes US$ 146 mil.

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube