Mercado abrirá em 1 h 46 min
  • BOVESPA

    107.829,73
    -891,85 (-0,82%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    53.335,51
    -713,54 (-1,32%)
     
  • PETROLEO CRU

    78,25
    +1,11 (+1,44%)
     
  • OURO

    1.896,30
    +11,50 (+0,61%)
     
  • BTC-USD

    23.180,16
    +176,56 (+0,77%)
     
  • CMC Crypto 200

    534,42
    +8,47 (+1,61%)
     
  • S&P500

    4.164,00
    +52,92 (+1,29%)
     
  • DOW JONES

    34.156,69
    +265,67 (+0,78%)
     
  • FTSE

    7.920,62
    +55,91 (+0,71%)
     
  • HANG SENG

    21.283,52
    -15,18 (-0,07%)
     
  • NIKKEI

    27.606,46
    -79,01 (-0,29%)
     
  • NASDAQ

    12.745,50
    -31,25 (-0,24%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5812
    +0,0041 (+0,07%)
     

O relâmpago negro de The Manifest existe mesmo?

Quando a série The Manifest retornou às telas como uma produção da Netflix, ela trouxe de volta seus diversos mistérios. A obra apresenta a história de um voo que, após uma turbulência, chega ao seu destino passados cinco anos desde sua partida. Um fenômeno que aparece na trama — com muita relevância para o enredo — é o chamado relâmpago negro (do inglês, dark lightning). E, embora a série use da liberdade criativa na hora de trazê-lo para sua história, saiba que o relâmpago negro, existe de fato.

O que é um relâmpago negro?

A descoberta deste fenômeno aconteceu em 1991, e imagens de satélite capturadas em 2006 permitiram com que cientistas fizessem a associação deles com relâmpagos convencionais.

Foi em 2012 que uma equipe liderada pelo cientista noruegues Nikolai Ostgaard, analisando as imagens de dois satélites independentes, encontrou um relâmpago negro antecipando um “claro”.

De acordo com os cientistas, um relâmpago negro pode preceder um relâmpago convencional (Imagem: kijevskymarek/Envato)
De acordo com os cientistas, um relâmpago negro pode preceder um relâmpago convencional (Imagem: kijevskymarek/Envato)

Ele ganha esse nome pois, enquanto a radiação eletromagnética de um relâmpago convencional tem o comprimento de onda correspondente à luz visível, o relâmpago negro está na faixa dos raios gama. Enquanto a luz está na faixa de 400 a 700 nanômetros, os raios gama são mais de um milhão de vezes menores — a partir de 100 picômetros.

O que leva a formação destes raios ainda não está totalmente claro para a comunidade científica e eles aparentam ser relativamente raros: acontecendo apenas uma vez a cada 1.000 raios convencionais.

No evento observado por Ostgaard e seus colegas, a hipótese levantada foi a formação de um fortíssimo campo elétrico entre as nuvens e o solo, que fez com que os elétrons na atmosfera colidissem com o ar numa velocidade próxima à da luz.

Relâmpago negro é perigoso para aviões?

Um relâmpago negro muito provavelmente nunca vai atingir nenhum voo comercial (Imagem: Netflix)
Cena de The Manifest. Fora da série, um relâmpago negro muito provavelmente nunca vai atingir um voo comercial (Imagem: Netflix)

Ainda que a radiação gama seja extremamente energética e com potencial de ionização — a capacidade de remover elétrons de outros átomos e substâncias — as consequências de um relâmpago negro não são as levantadas pela série. Esse tipo de radiação é nociva aos seres vivos, mas não é capaz de realizar nenhuma alteração temporal como em The Manifest.

De qualquer forma, pilotos de avião e companhias aéreas evitam nuvens de tempestade por outros motivos, mas fique tranquilo pois um relâmpago negro dificilmente atingiria um avião.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: