Mercado fechado

O que você precisa saber para começar a quarta-feira

Foto: AP Photo /Eraldo Peres

Jair Bolsonaro volta a criticar demarcação de terras indígenas, fala de Paulo Guedes sobre “parasitas” ainda reverbera e ministro da Educação tenta se explicar sobre falhas no Enem 2019. Além disso, jornal revela mentira justamente na CPMI das Fake News.

Confira o que você precisa saber para começar a quarta-feira (12):

Mentira na CPMI das Fake News

Um ex-funcionário de uma agência de disparados de mensagem em massa por Whatsapp mentiu em depoimento prestado à CPMI das Fake News no Senado. Hans River Rio do Nascimento foi desmentido horas depois pelo jornal Folha de São Paulo. O Código Penal estipula que fazer afirmação falsa como testemunha em processo judicial ou inquérito é crime, com pena prevista de dois a quatro anos de reclusão, além de multa.

Bolsonaro volta a criticar demarcação de terras indígenas

O presidente Jair Bolsonaro afirmou que vê o tamanho das terras indígenas demarcadas no Brasil como “abusivo”. A fala de Bolsonaro foi durante uma solenidade no Palácio do Planalto, evento no qual assinou um decreto que transfere o Conselho Nacional da Amazônia Legal do Ministério do Meio Ambiente para a Vice-presidência da República.

Desculpas não foram suficientes

O ministro da Economia, Paulo Guedes, pode ser convocado à Câmara dos deputados para se explicar após ter comparado funcionários públicos a “parasitas”, na semana passada. Guedes pediu desculpas pela fala no último dia 10. O deputado Professor Israel Batista (PV-DF) protocolou um requerimento para convocar o ministro à Câmara ainda nesta semana.

Fica ou sai?

O ministro da Educação Abraham Weintraub explicou as falhas no Enem 2019 durante audiência na Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) do Senado. O ministro da Educação minimizou os erros, dizendo que o número de estudantes afetados “não é significativo” e que o governo de Jair Bolsonaro é alvo de uma “chuva de fake news”. Nas redes sociais, alguns pediram sua saída enquanto outros demonstraram ser a favor de sua permanência.

Coronavírus

O novo coronavírus já matou mais de mil pessoas na China continental, e o fato de ultrapassar essa barreira simbólica levou a OMS a alertar a "ameaça muito séria" que a epidemia representa para o mundo inteiro. A primeira morte devido ao vírus 2019-nCoV, que apareceu em dezembro na cidade chinesa de Wuhan (centro), foi anunciada em 11 de janeiro. Desde então, a epidemia matou 1.016 pessoas na China continental, de acordo com um balanço oficial divulgado.

Demissão milionária

Custou um pouco menos caro do que se imaginava, mas a demissão de Fábio Carille entrou para a história como uma das mais altas do futebol brasileiro. É que o Corinthians terá de desembolsar algo entre R$ 4 milhões e R$ 5 milhões com seu ex-treinador. A informação foi confirmada por duas fontes diferentes de dentro do clube ao Blog do Nicola. “Inclusive, já começamos a pagar. O Carille não deu nenhum desconto, mas ao menos concordou com o parcelamento”, explica um dos corintianos, acrescentando que a bolada será dividida em 12 vezes.