Mercado fechará em 4 h 44 min

O que você precisa saber e acompanhar nesta quarta

Aqui estão as notícias para você começar o dia Lucro da CSN cai 80% no 2º trimestre

A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) encerrou o segundo trimestre com um lucro líquido de R$ 345,2 milhões, queda de 80% em relação ao mesmo período de 2019. A receita líquida somou R$ 6,2 bilhões, queda de 10%, e o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização caiu 33%, para R$ 981 milhões. Junto com o resultado, a CSN divulgou novas projeções para a alavancagem financeira. Ela espera agora atingir alavancagem de 3,75 vezes no indicador dívida líquida sobre Ebitda ajustado no fechamento do balanço anual de 2020. Para o fim de 2021, a expectativa é que o indicador seja de 3 vezes. A teleconferência com analistas e investidores está marcada para as 11h.

Gabriel Borges / Divulgação / CSN

Fed decide juros

Às 15h, o banco central dos EUA divulga sua decisão sobre juros. Em seguida, às 15h30, o presidente do Fed, Jerome Powell, dá entrevista coletiva.

Tesouro anuncia Relatório Mensal da Dívida Pública de junho

A Secretaria do Tesouro Nacional anuncia, às 14h30, o Relatório Mensal da Dívida Pública Federal (DPF) de junho. Em maio, a Dívida Pública Federal (DPF) subiu 2,17% em termos nominais ante abril, para R$ 4,250 trilhões, sendo R$ 4,032 trilhões de Dívida Pública Mobiliária Federal Interna (alta de 2,26% sobre abril) e R$ 218 bilhões (US$ 40,17 bilhões de Dívida Federal Externa (alta de 0,41% ante abril).

BC publica estatísticas monetária e de crédito de junho

O Banco Central publica, às 9h30, a Nota à Imprensa de Política Monetária e Operações de Crédito de junho. Em maio, o crédito ampliado ao setor não financeiro alcançou R$ 10,9 trilhões (150,1% do PIB), aumentando 0,9% no mês. O saldo das operações de crédito do Sistema Financeiro Nacional totalizou R$ 3,6 trilhões em maio, aumento de 0,3% no mês. A base monetária atingiu R$ 368,1 bilhões em maio, crescimento de 9,3% no mês e de 32,5% em doze meses.

Santander Brasil tem lucro gerencial de R$ 2,1 bilhões, abaixo das estimativas

O Santander Brasil obteve lucro líquido gerencial de R$ 2,136 bilhões no segundo trimestre, o que representa queda de 41,2% na comparação com o mesmo período do ano passado e de 44,6% ante o trimestre imediatamente anterior. O resultado veio abaixo das projeções dos analistas, que apontavam um ganho de R$ 2,3 bilhões. O lucro societário do Santander ficou em R$ 2,026 bilhões entre abril e junho, com contração de 40,6% ante igual intervalo de 2019. O terceiro maior banco privado do país em ativos contabilizou margem financeira bruta de R$ 13,620 bilhões no segundo trimestre, o que representa alta de 7,6% na margem e avanço de 20,2% na comparação anual.

Telefônica tem lucro 22% menor

O lucro da Telefônica Brasil caiu 22% no lucro líquido do segundo trimestre ante mesmo período do ano anterior, para R$ 1,11 bilhão. A receita líquida móvel foi 5,1% menor, comparada ao mesmo período do ano anterior, por causa da pandemia. A venda de aparelhos no período caiu 41%. Em contrapartida, a companhia ampliou sua participação de mercado no segmento de telefonia móvel para 33%, o maior percentual registrada nos últimos 14 anos, e o segmento de fibra óptica cresceu 32% em número de clientes, com 210 mil adições no segundo trimestre.

Smiles tem prejuízo de R$ 400 mil

A Smiles, empresa de programa de fidelidade da Gol, reportou no segundo trimestre um prejuízo líquido de R$ 400 mil, ante um lucro líquido de R$ 155,7 milhões no mesmo intervalo do ano passado. O resultado foi associado à crise causada no setor aéreo pela pandemia, que levou as empresas aéreas a reduzir a oferta de voos. A teleconferência será às 11h.

Minerva tem o melhor segundo trimestre da história da companhia

A Minerva registrou um lucro líquido de R$ 253,4 milhões no período. É o melhor segundo trimestre da história da empresa. No mesmo intervalo do ano passado, ela teve prejuízo de R$ 113,3 milhões. A receita cresceu 9,3%, para R$ 4,4 bilhões, e o Ebitda somou R$ 590,2 milhões, avanço de 62%. A teleconferência está marcada para as 10h.

Azul espera para os próximos dias conclusão de acordo com BNDES

A Azul concluiu as renegociações de dívidas com seus credores e espera para os “próximos” dias a conclusão do acordo de financiamento com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Cielo tem perda de R$ 75 milhões no segundo trimestre

A Cielo registrou prejuízo de R$ 75,2 milhões no segundo trimestre, revertendo lucro. O volume financeiro de transações somou R$ 128 bilhões, queda de 22,2%. A base ativa de clientes foi de 1,3 milhão em junho, com uma redução de 7,3%. A teleconferência está marcada para as 11h30.