Mercado fechado

O que é uma Oferta Pública Inicial (IPO)?

A IPO acontece quando uma empresa abre seu capital (Getty Images)

IPO é um acrônimo para Initial Public Offering que, em português, é Oferta Pública Inicial. Mas o que isso quer dizer na prática? Quando uma empresa é lançada na Bolsa de Valores para abrir seu capital e passar a vender ações, a primeira oferta que ela faz é a Oferta Pública Inicial – por isso o nome.

SIGA O YAHOO FINANÇAS NO INSTAGRAM

Funciona mais ou menos assim: quando uma empresa tem interesse em ampliar seu patrimônio, ela pode abrir mão de uma porcentagem da sua empresa e disponibilizar esse montante para novos acionistas. Empresas costumam lançar IPOs com foco na expansão, mas o dinheiro conseguido com o processo também pode servir para outros fins que estejam de acordo com a estratégia do negócio, como financiar novos produtos e serviços, ou até mesmo ampliar a atuação da companhia.

O que é preciso

Para poder começar a vender ações é preciso, antes de tudo, estabelecer o valor de mercado de uma companhia. Tendo o valor do montante em mãos, é possível determinar outros itens como os valores unitários das ações (também chamadas pelo mercado de “papéis”).

Leia também

Geralmente, como é uma oferta inicial, a compra é feita por um valor bastante interessante e os acionistas iniciais tem a vantagem de pagar menos e obter lucro com a posterior venda dos papéis. Vale lembrar também que, por ser pública, qualquer pessoa pode realizar a compra – basta ter o valor solicitado.

Os trâmites

O processo de um IPO, apesar de ter esse objetivo de conseguir dinheiro, ele não é tão simples quanto parece e é necessário que a empresa esteja com uma estrutura bem sólida montada, além de ter verba para investir no processo. Alguns exigem a contratação de bancos para o auxílio da abertura, o que resulta em pagamento de taxas e outros valores.

Algumas das principais bolsas de valores no mundo incluem: a Bolsa de Valores de Nova York (‘New York Stock Exchange’, também conhecida pela sigla ‘NYSE’); a ‘NASDAQ’ (sigla para ‘North American Securities Dealers Automated Quotation System’, ou ‘Sistema Norte-Americano de Cotação Automatizado para Negociantes de Valores Mobiliários’, em tradução); a Merval (bolsa de valores da Argentina) e claro, no Brasil a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa).

No Brasil, a bolsa é conhecida como B3, que é referência aos termos que compõem seu nome: ‘Brasil, Bolsa, Balcão’. A B3 veio da fusão da antiga bolsa, a ‘BM&Bovespa’, e a CETIP - ‘Central de Custódia e de Liquidação Financeira de Títulos’.