Mercado fechará em 4 h 4 min
  • BOVESPA

    113.810,39
    +2.626,44 (+2,36%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    46.500,63
    +123,16 (+0,27%)
     
  • PETROLEO CRU

    63,26
    +1,98 (+3,23%)
     
  • OURO

    1.718,00
    +2,20 (+0,13%)
     
  • BTC-USD

    49.631,65
    -1.277,75 (-2,51%)
     
  • CMC Crypto 200

    996,06
    +8,85 (+0,90%)
     
  • S&P500

    3.814,51
    -5,21 (-0,14%)
     
  • DOW JONES

    31.238,74
    -31,35 (-0,10%)
     
  • FTSE

    6.638,71
    -36,76 (-0,55%)
     
  • HANG SENG

    29.236,79
    -643,63 (-2,15%)
     
  • NIKKEI

    28.930,11
    -628,99 (-2,13%)
     
  • NASDAQ

    12.724,50
    +42,75 (+0,34%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,7458
    -0,0329 (-0,49%)
     

O que são astros luminosos e astros iluminados?

Danielle Cassita
·3 minuto de leitura

No céu noturno, vemos o brilho de estrelas distantes, da Lua e, eventualmente, de alguns planetas vizinhos. Já durante o dia, somos iluminados pela luz intensa de uma única estrela, que fica próxima de nós — o Sol. Mas nem tudo o que brilha no céu gera a própria luz. Se você quer descobrir o são astros luminosos e a diferença deles para os astros iluminados, nesta matéria explicamos tudo.

Quando admiramos as estrelas "estampando" o céu noturno como pequenos pontos brilhantes em meio à escuridão, estamos vendo o resultado prático de processos físicos que produzem a luz vista aqui na Terra. Isso porque estrelas são astros luminosos, ou seja, que geram a própria luz. Já a nossa Lua é um astro iluminado, pois ela não gera a própria luz; ela apenas reflete a luz solar em nossa direção. O mesmo acontece com outros planetas que às vezes ficam visíveis a olho nu no céu noturno, como Vênus, Marte, Júpiter e Saturno — o que vemos é a luz solar refletida nesses mundos, que não geram a própria luz como as estrelas.

O que são astros luminosos

Nosso Sol produz a própria luz (Imagem: Reprodução: ESA)
Nosso Sol produz a própria luz (Imagem: Reprodução: ESA)

Para um objeto ser considerado um astro luminoso, ele precisa gerar e emitir a própria luz. Estrelas, portanto, são astros luminosos, já que realizam o processo de fusão nuclear, que requer muita energia para acontecer, mas libera muito mais energia do que consome — tendo luz e calor como consequência. No caso do Sol, a luz que recebemos em nosso planeta vem da conversão do hidrogênio em hélio no processo de fusão nuclear.

Nosso Sol é uma anã amarela, mas, apesar do nome, não é uma estrela exatamente pequena, e nem é amarela — ela leva essa cor em sua categoria pois a cor amarela está relacionada à temperatura superficial da estrela. Além disso, o Sol produz luz em todos os comprimentos de onda visíveis; por isso, se observado de fora da Terra, ele terá a cor branca, que é a junção de todas as cores do espectro. Vemos o Sol em tons amarelados e alaranjados aqui na Terra porque a nossa atmosfera acaba funcionando como uma espécie de "filtro", nos permitindo enxergar aquela cor específica.

O que são astros iluminados

A Lua reflete a luz do Sol que incide em sua superfície (Imagem: Reprodução/Ponciano/Pixabay)
A Lua reflete a luz do Sol que incide em sua superfície (Imagem: Reprodução/Ponciano/Pixabay)

A luz emitida por astros luminosos como o Sol atinge objetos a seu alcance, e esses objetos podem refletir essa luz, tornando-se brilhantes e, portanto, visíveis a distância. Um exemplo de astro iluminado (ou seja, que não produz a própria luz, mas reflete a luz recebida) é a Lua. Ela brilha no céu noturno, sendo o objeto mais brilhante que vemos a olho nu, mas esse brilho é apenas a superfície lunar refletindo a luz solar que está "batendo" em sua face voltada para a Terra.

O planeta Vênus, por sua vez, também se destaca quando pensamos em intensidade de brilho. Apesar de não emitir luz própria, nosso vizinho é um dos objetos mais brilhantes no céu por causa de sua atmosfera. Composta por dióxido de carbono e ácido sulfúrico, ela causa um efeito estufa de intensidade fortíssima, mas, além de tornar as temperaturas extremamente altas, essa camada de gases contribui para refletir grande parte da luz solar que incide sobre ela. Assim, Vênus acaba sendo um dos astros mais brilhantes do céu noturno terrestre, mesmo que não seja um astro luminoso.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: