Mercado abrirá em 7 hs
  • BOVESPA

    108.789,33
    +556,59 (+0,51%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.464,03
    +900,05 (+1,78%)
     
  • PETROLEO CRU

    113,82
    +1,42 (+1,26%)
     
  • OURO

    1.808,60
    -10,30 (-0,57%)
     
  • BTC-USD

    29.997,91
    -431,74 (-1,42%)
     
  • CMC Crypto 200

    673,87
    +431,20 (+177,68%)
     
  • S&P500

    4.088,85
    +80,84 (+2,02%)
     
  • DOW JONES

    32.654,59
    +431,17 (+1,34%)
     
  • FTSE

    7.518,35
    +53,55 (+0,72%)
     
  • HANG SENG

    20.587,04
    -15,48 (-0,08%)
     
  • NIKKEI

    26.851,29
    +191,54 (+0,72%)
     
  • NASDAQ

    12.518,00
    -42,25 (-0,34%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2056
    -0,0048 (-0,09%)
     

O que montanhismo e mundo corporativo têm a ver?

Na vida, temos valores a seguir, relações a construir e objetivos a alcançar. Durante esta jornada, é comum que experiências vivenciadas no universo pessoal influenciem a trajetória profissional. Até mesmo atividades e situações que não tem um vínculo óbvio, acabam por contribuir para a formação de seu perfil no mercado de trabalho. Em meu caso, um esporte em particular oferece inspiração para o modelo de liderança que busco exercer no mundo corporativo: o montanhismo.

Desde a minha adolescência, valorizo o contato com a natureza. Acreditava que entrar em uma floresta e explorar novos caminhos era algo encantador. Ao planejar uma viagem, procurava por trilhas na região e dedicava horas dos meus dias a concluir os percursos escolhidos.

Há alguns anos, comecei a praticar o montanhismo. E, a partir de então, as trilhas deixaram de ser apenas parte do itinerário e se tornaram o eixo central, sendo, frequentemente, o motivo principal para definir o local de viagem. Durante a minha temporada na Região Andina, por exemplo, me diverti em lugares como o Nevado del Tolima ou o Páramo de Sumapaz. Antes, em 2017, cheguei ao topo do Kilimanjaro, montanha localizada na Tanzânia e com a maior altitude de África (5.895m).

Derivado da forma como enxergo o mundo, na minha maneira de agir e liderar, gosto de assumir riscos. No montanhismo, encontrei uma atividade que não só reflete os meus valores pessoais, mas também oferece aprendizados para a minha atuação no mercado corporativo, por meio das similaridades que são necessárias para o êxito nesta prática esportiva. Por exemplo:

Foco no objetivo

É fundamental definir um objetivo e enxergá-lo com clareza. No montanhismo, temos o cume, por exemplo. Quando há uma meta, o foco está no destino e não nos obstáculos que encontramos. Ao manter a concentração no resultado que buscamos, a motivação e o engajamento são maiores.

Persistência

Durante o trajeto, existirão diferentes tipos de dificuldade. No montanhismo, pode ser o cansaço, alguém da equipe que sofreu uma lesão ou as condições meteorológicas. No mundo corporativo, talvez seja a macroeconomia, uma pessoa que deixou o time em meio a um projeto, uma nova dinâmica competitiva. É necessário ter persistência e abraçar os desafios como parte da jornada de crescimento.

Planejamento

Não existe decisão sem avaliação de risco-retorno, senão não haveria o que decidir. No montanhismo, como no mundo corporativo, é necessário escolher o caminho que reduza riscos, que auxilie no desenvolvimento dos seus companheiros de jornada e que faça com que o destino seja alcançado da melhor forma.

Trabalho em equipe

No montanhismo, é indispensável o trabalho em equipe. As pessoas apresentam diferentes habilidades e capacidades, mas trabalham pelo mesmo objetivo. Assim como no mercado de trabalho, onde é necessário que os membros de um time tenham características complementares e trabalhem de forma colaborativa.

Não é só a subida

A jornada não acaba quando chegamos no cume. Muita gente não sabe disso, mas a descida de uma montanha pode ser até mais desafiadora do que a própria subida. E no mundo profissional não é diferente. Trata-se de uma sucessão de desafios. Ao conquistar o objetivo inicial, é preciso já pensar no próximo. Ao final, tal como no montanhismo, o “prêmio” é a própria jornada.

Seja pessoal, seja profissionalmente, temos um destino a chegar. E tanto no montanhismo, quanto no mundo corporativo, o êxito em um projeto é sempre sucedido por um novo ciclo, com novas metas e desafios. Por isso, é essencial desfrutar da jornada e aproveitar o sentimento gratificante que temos ao superar obstáculos e viver novas experiências.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos