Mercado fechado

O que levou a Renault a fazer um comercial com "filme" de Caverna do Dragão?

Rafael Arbulu

A Renault bem que tentou, mas não conseguiu impedir que alguns vazamentos mostrassem partes do comercial da empresa com um “mini live action” do antigo desenho Caverna do Dragão. Oficialmente veiculado ontem (23) no intervalo do Jornal Nacional, a peça publicitária, destinada ao automóvel Renault Kwid Outsider, tem tudo o que os fãs mais velhos poderiam lembrar: o Mestre dos Magos, os jovens heróis, o Vingador e seu cavalo negro e até aquele adorável (ou nem tanto) unicórnio Uni.

Em entrevista ao UOL, o diretor de marketing da Renault, Federico Goyret, disse que o desenho Caverna do Dragão (exibido no Brasil por 25 anos apesar de ter apenas 27 episódios e, ao menos oficialmente, nenhum final) foi escolhido por dois motivos: o primeiro, pela continuidade do trabalho de divulgação dos carros da montadora usando referências da cultura pop; o outro, pela identificação do público-alvo da marca para com o desenho, já que a idade do público interessado, em ambos os casos, é aproximada.

"Nossa intenção foi buscar algo criativo, que saísse do lugar comum. Fizemos algumas entrevistas com nosso público-alvo e chegamos até a Caverna do Dragão”, ele conta. “Esse desenho foi ao ar na Rede Globo entre 1986 e 2014, então duas gerações foram impactadas. Foi o que fizemos também fizemos na campanha de lançamento do Kwid, a primeira co-produção com os estúdios Marvel", disse, lembrando da campanha com O Incrível Hulk.

Para este comercial, Goyret disse ter ajudado até mesmo nas escolhas das locações. A peça foi filmada na Argentina, usando profissionais do cinema local."Foram quatro dias de filmagens na Argentina, incluindo um ponto turístico famoso em Salta, chamado Cafayate, perto da fronteira com a Bolívia”. A empresa preferiu usar uma locação real ao invés de um estúdio para não depender de efeitos especiais e adicionar mais veracidade ao vídeo.

Os vazamentos aconteceram, como é quase inevitável nesse caso, mas a Renault soube fazer uso da inteligência de mercado e usou isso a seu favor. Segundo conta Goyret, um dos primeiros sites a escreverem sobre o comercial foi o Omelete. Devido à alta tração das notas, a Renault optou por ser assertiva ao invés de combativa, firmando uma parceria com o site, o que ajudou a promover ainda mais o comercial. “Até ontem (23), tínhamos mais de 200 notícias e milhares de posts nas redes sociais. Foi uma repercussão tão grande como nunca vimos na história da Renault", ele conta.

Federico orgulha-se da escolha do tema pois, segundo ele, ajudou a empresa a “pensar fora da caixa”, como diz o jargão da inovação: “O desenho mostrava um jovem ingressando em um mundo de fantasia cheio de desafios, por isso achamos que seria perfeito para nosso produto. Aprovar uma campanha comum, como um comercial de cerveja, é muito fácil, pois é uma peça que nunca haverá crítica ou resistência. Algo como o que fizemos requer mais esforço, pois você precisa defender a ideia até o fim".

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: