Mercado abrirá em 9 h 44 min

O que há de verdade na volta de Romero ao Corinthians

Jorge Nicola
·2 minuto de leitura
Irmãos querem deixar o San Lorenzo para jogar juntos em outro time (Divulgação/San Lorenzo)
Irmãos querem deixar o San Lorenzo para jogar juntos em outro time (Divulgação/San Lorenzo)

Uma notícia publicada na Argentina dando conta que Angel Romero pode voltar ao Corinthians foi o suficiente para agitar o torcedor alvinegro. Nas redes sociais, o paraguaio esteve entre os assuntos mais comentados ao longo de toda a segunda-feira.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Esportes no Google News

Mas o que há de verdade nesta história? Vamos por partes. De fato, ele e seu irmão gêmeo, Óscar Romero, estão a fim de deixar o San Lorenzo, da Argentina. O clima para a dupla já era ruim desde setembro, quando o ex-corintiano quebrou a perna de Herrera, durante um treino.

Leia também:

Mais recentemente, Romero ainda se meteu em outra confusão, agora com o goleiro Fernando Monetti, e chegou a tomar um soco no rosto. A informação, publicada como fofoca na Argentina, foi confirmada por uma pessoa próxima ao atacante.

Além da falta de clima no San Lorenzo, outra coisa poderia ajudar no retorno ao Corinthians: o fato de Andrés Sanchez não estar mais no comando. Foi o ex-presidente quem determinou que Romero nem treinaria mais com os profissionais durante seus últimos dias de contrato.

Tudo porque, em meio às negociações para a renovação do vínculo, Romero afirmou que não confiava em Andrés, por isso, não aceitaria o parcelamento de uma dívida que o Timão tinha.

Preço nas alturas: Apesar de tudo isso, imaginar o retorno de Romero ou ainda a contratação de seu irmão é forçar a barra. Tudo porque o San Lorenzo pede US$ 12 milhões ou R$ 66 milhões pela liberação da dupla. Angel já deixou bem claro que só sai da Argentina se levar seu irmão junto.

E o San Lorenzo em momento algum sinalizou com a intenção de aceitar um empréstimo. Para completar de vez, ainda existe outro complicador: o salário da dupla, em dólar, bem perto do teto salarial alvinegro. Hoje, o Timão tenta reduzir seus custos com o departamento de futebol.

Siga o Yahoo Esportes no Instagram, Facebook e Twitter

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos