Mercado fechado

O que é "precrastinar" - e por que isso pode ser tão ruim quanto procrastinar

Foto: Getty Images

Muitas pessoas costumam enrolar quando precisam fazer algo que não querem, como um projeto chato no trabalho, a declaração de impostos ou até mesmo cuidar da própria casa. É uma tendência comum, que acaba gerando estresse ou pressa para cumprir prazos.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

No entanto, nem todos são adeptos da procrastinação. Algumas pessoas sentem uma forte urgência de concluir as tarefas, mesmo quando esperar poderia melhorar o resultado final. É o que alguns chamam de "precrastinar".

Leia também

Em 2014, David Rosenbaum, professor de psicologia da Universidade da Califórnia em Riverside, criou a expressão "precrastinar" para descrever essa inclinação. Ele define a precrastinação como a tendência de terminar tudo o mais rápido possível, mesmo quando isso exige um esforço desnecessário e, às vezes, prejudica a qualidade do trabalho.

"As pessoas que se apressam para concluir as tarefas costumam fazer isso só para poder riscar itens da lista", explica Heather Bingham, psicóloga organizacional da agência de investimentos BOOST&Co.

"Ticar ou riscar uma tarefa gera satisfação, e terminar o dia ou a semana com a lista vazia é maravilhoso. Estar em dia com a lista de tarefas organiza o universo dessas pessoas e funciona como uma forma de autolegitimação, algo que muitos de nós buscamos."

"Isso é frequente em profissões em que a perfeição é tangível, como contadores, gerentes de finanças, engenheiros e qualquer outro profissional que tenha como meta principal verificar planilhas ou criar projetos sem defeitos", continua ela.

"As coisas que não são perfeitas não provocam a sensação de satisfação, então essas pessoas querem se livrar delas logo para voltar a trabalhar."

Existem vários motivos para precrastinar. Algumas pessoas correm para terminar as tarefas quando têm muito trabalho para fazer, com o objetivo de terminar algumas delas o mais rápido possível para reduzir a carga. Alguns traços de personalidade, como integridade e vontade de agradar, também podem contribuir.

De acordo com Ales Zivkovic, psicoterapeuta registrado no Conselho de Psicoterapia do Reino Unido, os motivos variam de pessoa para pessoa. No entanto, os precrastinadores podem correr para terminar as tarefas só para ter a sensação de controle e, assim, acalmar o estresse ou a ansiedade.

"O que eu costumo observar é que as pessoas que querem terminar as tarefas mais rápido fazem isso para satisfazer a necessidade de ter controle", explica ele. "Ou seja, concluir as tarefas rapidamente dá uma falsa sensação de domínio do ambiente e, assim, essas pessoas sentem que têm controle sobre as próprias experiências internas."

"Em momentos de estresse, costumamos sentir mais urgência de terminar tudo mais rápido", comenta Zivkovic. "É interessante observar que a precrastinação e a procrastinação não são excludentes, ou seja, podem ser simultâneas. Talvez uma pessoa tenha pressa para terminar algumas tarefas porque já procrastinou e ficou ansiosa."

À primeira vista, terminar as coisas rápido não parece tão ruim. Mas, mesmo que a pessoa se sinta mais produtiva dessa forma, talvez não seja verdade. Especialmente quando a necessidade de riscar as tarefas da lista é maior que o desejo de fazer um bom trabalho.

O procrastinador pode deixar os projetos para a última hora e acabar fazendo um trabalho ruim. Já o precrastinador pode terminar os projetos duas semanas antes do prazo, mas sem fazer as pesquisas necessárias e com muito cansaço e estresse.

"Ficamos tão ansiosos para eliminar a carga mental de uma tarefa ou encarar logo o trabalho a fazer, que acabamos nos apressando sem ter os cuidados necessários, especialmente quando a lista de afazeres é praticamente interminável", explica Hannah Martin, psicoterapeuta e fundadora do Talented Ladies Club.

"Você se lembra do alívio que sentia quando terminava uma tarefa na escola quando era criança? Em vez de dedicar tempo para fazer bem cada exercício, você fazia tudo com pressa, sem se importar se as respostas estavam corretas ou não. Afinal, as notas só sairiam no dia seguinte. Você só queria ter o prazer de terminar a tarefa."

Em última análise, os precrastinadores podem ter que dedicar ainda mais tempo a uma tarefa que pensavam já ter cumprido. "Com essa abordagem em curto prazo, com foco apenas no momento presente, a pessoa pode gastar mais tempo e esforço na mesma tarefa, porque precisará corrigir e resolver erros cometidos por falta de atenção", explica Martin. "É bem melhor dedicar um pouco mais de tempo e esforço para entregar o melhor resultado na primeira tentativa."

Lydia Smith

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.