Mercado fechará em 2 h 57 min
  • BOVESPA

    120.327,32
    +265,33 (+0,22%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.958,33
    +90,71 (+0,19%)
     
  • PETROLEO CRU

    61,60
    +0,25 (+0,41%)
     
  • OURO

    1.780,70
    -12,40 (-0,69%)
     
  • BTC-USD

    54.965,86
    -1.254,79 (-2,23%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.288,03
    +44,97 (+3,62%)
     
  • S&P500

    4.179,30
    +5,88 (+0,14%)
     
  • DOW JONES

    34.120,49
    -16,82 (-0,05%)
     
  • FTSE

    6.938,24
    +42,95 (+0,62%)
     
  • HANG SENG

    28.755,34
    +133,42 (+0,47%)
     
  • NIKKEI

    29.188,17
    +679,62 (+2,38%)
     
  • NASDAQ

    13.934,50
    +15,25 (+0,11%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,5909
    -0,1111 (-1,66%)
     

O que é e como funciona o 5G?

Redação Finanças
·1 minuto de leitura

Carros autônomos e geladeiras que avisam quando um produto está acabando parecem elementos de uma bela ficção científica. Mas com o 5G, isso deve se tornar realidade em pouco tempo.

A quinta geração de redes móveis e banda larga promete revolucionar o modo como nos conectamos. Primeiro porque deve atingir uma velocidade até 40 vezes mais rápida do que o atual 4G.

Veja também

Diferente das gerações anteriores, as redes 5G são construídas em ondas de rádio de frequência altíssima, que também leva o nome de espectro de banda alta.

Dessa forma, os dados são transmitidos muito mais rápido, além de fazer com que muitas pessoas se conectem ao mesmo tempo em um mesmo lugar. Será o fim daquela situação de perder o sinal em um show, ou num bloco de Carnaval lotado.

Mas a novidade mais bombástica está na enorme redução da latência. O tempo entre você apertar o play em um filme e ele começar a ser reproduzido vai ser imperceptível.

Os mais beneficiados serão os gamers em suas partidas online e também os médicos, que poderão realizar cirurgias a distância com segurança.

Com a latência reduzida de 30 para 1 milissegundo, um carro autônomo terá um tempo de resposta mais rápido para se comunicar com outros elementos à sua volta, como um semáforo, e também evitar acidentes ao se conectarem com os smartphones dos pedestres.

O único problema é que, para fazer parte desse futuro conectado, vai ser necessário comprar tudo quanto é eletrônico novo.