Mercado abrirá em 8 horas 1 minuto
  • BOVESPA

    110.925,60
    -1.560,41 (-1,39%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.457,55
    -227,31 (-0,44%)
     
  • PETROLEO CRU

    81,29
    +0,07 (+0,09%)
     
  • OURO

    1.811,90
    -3,30 (-0,18%)
     
  • BTC-USD

    16.905,57
    -246,21 (-1,44%)
     
  • CMC Crypto 200

    400,50
    -5,65 (-1,39%)
     
  • S&P500

    4.076,57
    -3,54 (-0,09%)
     
  • DOW JONES

    34.395,01
    -194,76 (-0,56%)
     
  • FTSE

    7.558,49
    -14,56 (-0,19%)
     
  • HANG SENG

    18.567,32
    -169,12 (-0,90%)
     
  • NIKKEI

    27.708,69
    -517,39 (-1,83%)
     
  • NASDAQ

    12.019,75
    -43,00 (-0,36%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4661
    +0,0007 (+0,01%)
     

O que as concessionárias fazem com carros que não são vendidos?

Para comprar um carro 0km no Brasil, a melhor alternativa é recorrer às concessionárias, modelo de negócio que há décadas perdura no país. As montadoras fornecem os automóveis sempre dentro de uma demanda estabelecida pela sua rede e os disponibilizam aos clientes por meio de estoque ou produção imediata.

Uma grande dúvida que certamente fica na cabeça dos curiosos e fãs de automóveis é: o que será que as concessionárias fazem com carros que não são vendidos?

A resposta é muito simples, mas antes precisamos contextualizar.

As concessionárias fazem pedidos "justos" às fábricas justamente para evitar que os carros encalhem (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)
As concessionárias fazem pedidos "justos" às fábricas justamente para evitar que os carros encalhem (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)

Sob demanda

As concessionárias trabalham com um estoque controlado, sempre de acordo com a demanda de um determinado modelo. Se eu sou um concessionário da Fiat, por exemplo, e há uma demanda muito grande do Pulse ou do Argo, cabe ao meu departamento de vendas fazer um relatório e um pedido para que a loja sempre tenha o produto à pronta entrega.

Quando isso não acontece, o prazo para que o veículo saia da concessionária, que geralmente é de sete dias, pode ser de 10 a 15 dias — ou até um mês em casos mais graves. Isso acontece quando variáveis como a crise dos semicondutores entram em cena, por exemplo. Modelos como o Chevrolet Onix chegaram a ter fila de espera de seis meses em 2021.

Não sobra nada

Voltando ao que acontece com os carros que não são vendidos, a resposta é mais simples do que se imagina. Todos eles são vendidos, cedo ou tarde. Isso acontece porque as concessionárias, uma vez que adquirem os automóveis das concessionárias, têm total poder sobre eles.

Geralmente, os carros "encalham" quando há troca do ano do modelo. Nesse caso, a concessionária realiza promoções para efetuar a chamada "queima de estoque".

Montadoras como a Hyundai sofreram com a falta de componentes em 2021 (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)
Montadoras como a Hyundai sofreram com a falta de componentes em 2021 (Imagem: Felipe Ribeiro/Canaltech)

Em conversa com o Canaltech, algumas montadoras revelaram que em 2021 foi raríssimo as concessionárias ficarem por muito tempo com os carros, já que a alta demanda e a pouca oferta, causada pela pandemia e pela falta de semicondutores, afetou a produção e os estoques.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: