Mercado fechado
  • BOVESPA

    110.036,79
    +2.372,79 (+2,20%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    44.626,80
    -475,80 (-1,05%)
     
  • PETROLEO CRU

    82,00
    +2,51 (+3,16%)
     
  • OURO

    1.672,30
    +0,30 (+0,02%)
     
  • BTC-USD

    18.990,91
    -316,43 (-1,64%)
     
  • CMC Crypto 200

    443,49
    +0,06 (+0,01%)
     
  • S&P500

    3.585,62
    -54,85 (-1,51%)
     
  • DOW JONES

    28.725,51
    -500,09 (-1,71%)
     
  • FTSE

    6.893,81
    +12,22 (+0,18%)
     
  • HANG SENG

    17.222,83
    +56,93 (+0,33%)
     
  • NIKKEI

    25.937,21
    -484,89 (-1,84%)
     
  • NASDAQ

    11.006,25
    -29,25 (-0,27%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,3040
    -0,0039 (-0,07%)
     

O que acontece se você não atualizar o software do celular?

Manter seu celular atualizado é um importante hábito para ter acesso aos recursos mais recentes, mas você sabe o que acontece se o dispositivo não estiver com updates em dia? Na verdade, o problema está bem além do que ter ferramentas a menos e, inclusive, pode comprometer todos os seus arquivos pessoais.

Sem recursos novos

Ao ignorar atualizações, especialmente as maiores, a primeira coisa a se deixar de lado provavelmente são recursos inéditos e aprimoramentos para uso geral. Sem as funções novas, o usuário não poderá extrair o máximo que o smartphone pode oferecer.

Até o Android 13, que introduziu menos novidades que seu antecessor, é uma atualização importante (Imagem: Reprodução/Google)
Até o Android 13, que introduziu menos novidades que seu antecessor, é uma atualização importante (Imagem: Reprodução/Google)

Como medida para conter essa deficiência até dá para baixar aplicativos complementares com finalidade similar, mas eles jamais terão o mesmo nível de qualidade e polimento que uma solução nativa. Além disso, o aparelho pode acabar lotado com inúmeros programas adicionais desnecessários.

Bugs permanecem sem correção

Nenhum software é livre de bugs — e atualizações também servem para corrigi-los. Tanto a Apple quanto o Google experimentam seus sistemas operacionais por meses, mas é impossível cobrir todas as lacunas deixadas em programas e prever como usuários (e demais desenvolvedores) aproveitarão a estrutura implementada no SO.

Sem atualizações, bugs conhecidos nunca são corrigidos (Imagem: Rami Al-zayat/Unsplash)
Sem atualizações, bugs conhecidos nunca são corrigidos (Imagem: Rami Al-zayat/Unsplash)

Por isso, as fabricantes ficam atentas aos comentários de usuários para corrigir bugs assim que possível, liberando os reparos como compilações novas. Pode ser uma falha estrutural, bug em ferramenta ou até uma inconsistência na interface, é através de um update que ele é enfim resolvido no aparelho.

Vulnerabilidades de segurança sempre abertas

Outra função prioritária das compilações é a correção de vulnerabilidades conhecidas — às vezes, até já exploradas por criminosos. Assim como bugs, brechas em segurança são inevitáveis e precisam ser avaliadas a todo momento — não é à toa que o suporte para atualizações de segurança é o último a expirar.

Brechas em segurança nunca são solucionadas caso o usuário não atualize o celular (Imagem: Reprodução/jirkaejc (Envato))
Brechas em segurança nunca são solucionadas caso o usuário não atualize o celular (Imagem: Reprodução/jirkaejc (Envato))

Corrigir falhas em segurança ajuda o dispositivo a manter a integridade dos arquivos internos, incluindo as pastas pessoais do usuário. Além disso, tapar buracos conhecidos evita que usuários tenham seus hábitos rastreados por atores mal-intencionados, tenham suas credenciais (logins e senhas) roubadas, dados bancários expostos e muito mais.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: