Mercado fechado
  • BOVESPA

    111.923,93
    +998,33 (+0,90%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.234,37
    -223,18 (-0,43%)
     
  • PETROLEO CRU

    80,34
    -0,88 (-1,08%)
     
  • OURO

    1.811,40
    -3,80 (-0,21%)
     
  • BTC-USD

    16.974,26
    -62,86 (-0,37%)
     
  • CMC Crypto 200

    404,33
    +2,91 (+0,72%)
     
  • S&P500

    4.071,70
    -4,87 (-0,12%)
     
  • DOW JONES

    34.429,88
    +34,87 (+0,10%)
     
  • FTSE

    7.556,23
    -2,26 (-0,03%)
     
  • HANG SENG

    18.675,35
    -61,09 (-0,33%)
     
  • NIKKEI

    27.777,90
    -448,18 (-1,59%)
     
  • NASDAQ

    11.979,00
    -83,75 (-0,69%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,4940
    +0,0286 (+0,52%)
     

O que é um OVNI? | Objeto Voador Não Identificado

Você sabe o que é um OVNI? Esta sigla descreve os chamados “objetos voadores não identificados”, ou seja, são fenômenos aéreos de explicação desconhecida. Apesar de especulações relacionarem os OVNIs a possíveis seres alienígenas, a maioria deles é causada simplesmente por objetos conhecidos e fenômenos atmosféricos, e somente uma pequena parte tem explicação desconhecida.

Não é de hoje que as pessoas observam objetos e luzes no céu, sem conseguir explicá-los: por exemplo, no passado, diferentes culturas consideravam que os meteoros e cometas eram fenômenos sobrenaturais. Nesta visão, eles seriam causados pela insatisfação de alguma divindade, mas também eram interpretados como sinais de algo que estava para acontecer.

Já os OVNIs que conhecemos hoje são fenômenos muito mais recentes, cujas raízes remetem aos primeiros voos motorizados. Mais à frente, durante a Segunda Guerra Mundial, os pilotos dos países Aliados enviaram relatos de objetos e luzes desconhecidos no céu.

O que é OVNI?

Como mencionamos acima, os OVNIs são “objetos voadores não identificados”. Você também pode encontrá-los chamados de “UFOs”, sigla de “unkown flying object”, expressão nascida na década de 1950. Hoje, os oficiais norte-americanos preferem o termo “UAP”, sigla que significa “fenômenos aéreos não identificados”.

Imagens de OVNIs observados em 2015 por pilotos da Marinha norte-americana (Imagem: Reprodução/New York Times/U.S. Department of Defense)
Imagens de OVNIs observados em 2015 por pilotos da Marinha norte-americana (Imagem: Reprodução/New York Times/U.S. Department of Defense)

Foi em 1947 que Kenneth Arnold, aviador e empresário norte-americano, relatou a observação de nove luzes brilhantes no céu de uma cidade próxima de Washington, enquanto voava ali. Na época, alguns jornais descreveram as luzes como “discos voadores”, e a expressão caiu no gosto do público, sendo amplamente adotada.

Novos relatos seguiram aparecendo com o tempo e chamaram a atenção dos militares norte-americanos; na época, a Força Aérea montou projetos para investigar os milhares de relatos recebidos. Hoje, os militares dos Estados Unidos seguem trazendo observações destes objetos, e o governo do país vem estudando-as.

Perceba que, embora muitas vezes os OVNIs sejam relacionados a possíveis visitas de seres extraterrestres ou hipotéticas naves de outros mundos, a maior parte da preocupação com eles se deve à possibilidade de serem tecnologias de nações rivais, capazes de espionar e oferecer riscos ao país.

Casos de OVNIs no Brasil

Existem vários relatos de observações de OVNIs no Brasil, e mais de 700 registros foram reunidos pelo Comando da Aeronáutica no Fundo Objeto Voador Não Identificado, do Arquivo Nacional. Entre os documentos, estão relatos, fotos, desenhos, vídeos, áudios e mais, dos objetos observados no céu do país.

O Arquivo Nacional reúne centenas de registros de OVNIs obsevados no Brasil (Imagem: Arquivo Nacional)
O Arquivo Nacional reúne centenas de registros de OVNIs obsevados no Brasil (Imagem: Arquivo Nacional)

O caso mais antigo do arquivo aconteceu no Rio de Janeiro, em 1952. Naquele ano, um repórter e um fotógrafo da revista mais popular do Brasil na época teriam conseguido fotografar o que descreveram como “disco voador” em uma praia carioca deserta. Só que, décadas após o ocorrido, foi descoberto e provado que as imagens eram falsas.

Mais recentemente, em 1986, a cidade de São José dos Campos (SP) foi palco do que se tornaria um dos mais emblemáticos casos de OVNIs no Brasil. Em uma noite daquele ano, a torre de controle da cidade identificou várias luzes coloridas voando na região, que também foram identificadas por radares. Alguns caças armados tentaram segui-las, mas sem sucesso, porque as luzes se moviam a altas velocidades.

Já em 2022, pilotos de pelo menos quatro aeronaves relataram luzes não identificadas enquanto seguiam com destino a Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. As luzes estranhas foram descritas durante conversas entre os pilotos e o controle de tráfego aéreo dos aeroportos, e não afetaram as operações.

Relatos de OVNIs no mundo

O caso envolvendo Arnold é, talvez, um dos incidentes de OVNIs mais famosos conhecidos. Além das observações dele, aquele ano contou com outro incidente: ainda em 1947, o escritório de informações públicas do Novo México relatou ter recuperado um “disco voador” em um rancho próximo — segundo os militares, o objeto veio de um balão experimental, que fazia parte de um programa secreto.

Página do jornal Chicago Sun, com matéria sobre o relato de Kenneth Arnold; aquele pode ter sido o primeiro uso da palavra "disco voador" (Imagem: Domínio público)
Página do jornal Chicago Sun, com matéria sobre o relato de Kenneth Arnold; aquele pode ter sido o primeiro uso da palavra "disco voador" (Imagem: Domínio público)

Já relatos mais recentes envolvem observações de luzes curiosas no céu. Isso aconteceu em 2001, quando motoristas pararam seus veículos em uma estrada nos Estados Unidos para observar luzes laranjas e amarelas no céu em formação parecida com a da letra V. Os controladores de tráfego aéreo negaram que elas fossem causadas por aviões ou aeronaves militares.

Em 2008, um fenômeno parecido foi observado por fazendeiros, em uma pequena cidade no sul do Texas. Em uma noite de janeiro, dezenas de moradores do local observaram luzes brancas, que apareceram primeiro em um arco na horizontal e, depois, brilharam em linhas verticais paralelas. Na época, a Força Aérea estadunidense revelou que havia aviões militares voando na região.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: