Mercado fechado
  • BOVESPA

    112.764,26
    +3.046,26 (+2,78%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    48.853,37
    +392,77 (+0,81%)
     
  • PETROLEO CRU

    91,88
    -0,21 (-0,23%)
     
  • OURO

    1.818,90
    +3,40 (+0,19%)
     
  • BTC-USD

    24.390,04
    -101,78 (-0,42%)
     
  • CMC Crypto 200

    574,64
    +3,36 (+0,59%)
     
  • S&P500

    4.280,15
    +72,88 (+1,73%)
     
  • DOW JONES

    33.761,05
    +424,35 (+1,27%)
     
  • FTSE

    7.500,89
    +34,98 (+0,47%)
     
  • HANG SENG

    20.175,62
    +93,22 (+0,46%)
     
  • NIKKEI

    28.546,98
    +727,68 (+2,62%)
     
  • NASDAQ

    13.580,00
    +2,25 (+0,02%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,2029
    -0,1208 (-2,27%)
     

O que é um CRM médico e como consultar?

Para exercer a medicina — fazer consultas, realizar operações e prescrever medicamentos — no Brasil, todo médico precisa ter obrigatoriamente o seu registro no Conselho Regional de Medicina (CRM), vinculado ao Conselho Federal de Medicina (CFM). É um número que identifica o profissional e pode conter sua especialidade. Em termos gerais, seria o equivalente ao Registro Geral (RG) de todo cidadão brasileiro.

A diferença entre o RG e o registro no CRM é que o documento identificador dos médicos é público e pode ser consultado por qualquer indivíduo, sem a necessidade de compartilhar nenhuma informação preliminar. Por exemplo, antes de ir até a consulta com um médico novo, a pessoa pode confirmar que aquele médico exerce a profissão de forma legal e checar o seu registro.

Checar o CRM do médico antes da consulta evita o risco de ir a um "falso médico" (Imagem: Ckstockphoto/Envato)
Checar o CRM do médico antes da consulta evita o risco de ir a um "falso médico" (Imagem: Ckstockphoto/Envato)

Ter registro no CRM é mesmo obrigatório?

Sim, possuir o registro no CRM é obrigatório, conforme a Lei Federal nº 3.268/57. "Os médicos só poderão exercer legalmente a medicina, em qualquer de seus ramos ou especialidades, após o prévio registro de seus títulos, diplomas, certificados ou cartas no Ministério da Educação e Cultura e de sua inscrição no Conselho Regional de Medicina, sob cuja jurisdição se achar o local de sua atividade", explica o texto.

Inclusive, o número do CRM deve ser identificável em pedidos de exames e receitas feitas pelo médico, segundo a resolução número 2.217, do CFM. O texto afirma que é vedado ao médico "receitar, atestar ou emitir laudos de forma secreta ou ilegível, sem a devida identificação de seu número de registro no Conselho Regional de Medicina da sua jurisdição".

Como consultar o CRM médico?

Antes de ensinarmos como consultar o registro no CRM do médico, vale explicar que cada estado tem o seu conselho regional de medicina. No caso de São Paulo, é o Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp). Enquanto isso, o do Amazonas é o Conselho Regional de Medicina do Amazonas (Cremam).

Cada uma dessas entidades tem o seu próprio banco de dados sobre os médicos que foram registrados sob a sua jurisdição e permitem consultas regionais. No entanto, a busca é mais simples quando o usuário acessa a plataforma do próprio CFM, onde estão os dados de todos os médicos que podem exercer a profissão no Brasil. Isso evita possíveis falhas na busca, já que é mais abrangente.

Para exercer a medicina no Brasil, todo médico possuí um registro no CRM (Imagem: CFM)
Para exercer a medicina no Brasil, todo médico possuí um registro no CRM (Imagem: CFM)

A consulta pode ser feita através do buscador, disponível no portal do CFM. Na página, basta escrever o nome completo do médico ou o registro no CRM. Em seguida, basta apenas clicar em "Enviar".

O que podemos descobrir na consulta?

Após realizar a busca sobre determinado médico, o usuário pode descobrir diferentes informações sobre o profissional, como:

  • O número do registro no conselho regional;

  • O estado em que o médico atua;

  • O ano em que o registro foi feito;

  • Uma imagem do profissional aparece vinculada a essa consulta;

  • Se o registro está ativo ou inativo. Isso porque os registros de profissionais aposentados são mantidos no banco;

  • É possível que alguns profissionais registrem também suas especialidades.

Além destas informações, vale destacar a informação complementar que está associada com os médicos que possuem registro ativo. Isso porque é possível conferir se o registro está regular ou não. Em caso contrário, as causas podem ser: interdição cautelar, suspenso parcialmente ou suspenso por decisão jurídica.

Com base dessas informações, a pessoa pode saber se o médico é, de fato, um profissional que pode exercer a medicina e ir segura para a consulta — são relativamente comuns relatos de "falsos médicos", especialmente na área de estética e cirurgia plástica. Este é um crime e pode colocar em risco a saúde das pessoas.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos