Mercado fechará em 1 h 58 min
  • BOVESPA

    108.435,09
    +2.138,91 (+2,01%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    51.802,27
    -87,39 (-0,17%)
     
  • PETROLEO CRU

    83,75
    -0,01 (-0,01%)
     
  • OURO

    1.808,70
    +12,40 (+0,69%)
     
  • BTC-USD

    63.700,27
    +3.216,54 (+5,32%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.520,32
    +1.277,64 (+526,47%)
     
  • S&P500

    4.568,12
    +23,22 (+0,51%)
     
  • DOW JONES

    35.746,01
    +68,99 (+0,19%)
     
  • FTSE

    7.222,82
    +18,27 (+0,25%)
     
  • HANG SENG

    26.132,03
    +5,10 (+0,02%)
     
  • NIKKEI

    28.600,41
    -204,44 (-0,71%)
     
  • NASDAQ

    15.501,25
    +160,25 (+1,04%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,4624
    -0,1184 (-1,80%)
     

O que é: Token (e sua diferença para coins)

·2 minuto de leitura

A rede que origina as coins é base para o nascimento dos tokens

Quando falamos especificamente das moedas digitais – as coins, no inglês – o correto é idealizar os ativos originais de suas próprias blockchains, cumprindo as funções e ideais “originais” de todo o ecossistema de criptos: descentralização, liberdade e segurança em transações.

Economicamente, coins agem como moeda fiduciária para pagamentos e reservas, fora seu funcionamento que permite sua integração também no âmbito de investimento em meio à expansão do mercado de criptoativos.

Por sua vez, os tokens são derivados justamente das blockchains existentes e já estabelecidas, como por exemplo a Ethereum – que tem, como coin da rede, o Ether (ETH).

Abertura para novas possibilidades

Ao contrário das moedas virtuais, que de certa forma podem funcionar como substituto do dinheiro como conhecemos, o token pode ser interpretado como a representação digital de um ativo que tem seu valor dentro de um contexto e, a partir daí, pode passar por valorização ou desvalorização de preço.

Vale destacar outra diferença, que se trata justamente dessa função representativa. Pois as tradicionais coins, apesar de serem originadas de projetos diferentes, limitam sua funcionalidade ao âmbito financeiro, enquanto enquanto os tokens abrem portas para atuarem em diversas funcionalidades, como de segurança de capital, representação de patrimônio ou até mesmo com utilidade prática por meio dos dApps (Aplicativos descentralizados desenvolvidos em blockchain).

Dentro destes contextos, a digitalização de ativos em meio às redes descentralizadas facilita a distribuição (podendo até fragmenta-la no caso de alguns ativos de títulos, ações, metais preciosos e fundos de investimento), enquanto abre uma nova possibilidade de capitalização, por exemplo, com tokens não fungíveis exclusivos – os famigerados NFTs – capazes abraçar e comercializar até obras de propriedade intelectual.

Em suma, os tokens representam o passo seguinte do mundo dos criptoativos. Uma vez capazes de estabelecerem seus conceitos e possibilidades ao público consumidor mais amplo, tendem a ser a ponte que aproximará essa parcela da população de um novo jeito de enxergar o mercado.

This article was originally posted on FX Empire

More From FXEMPIRE:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos