Mercado fechado
  • BOVESPA

    101.619,98
    -1.194,05 (-1,16%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    49.754,92
    -41,38 (-0,08%)
     
  • PETROLEO CRU

    66,75
    -3,20 (-4,57%)
     
  • OURO

    1.775,40
    -9,80 (-0,55%)
     
  • BTC-USD

    57.450,70
    -624,58 (-1,08%)
     
  • CMC Crypto 200

    1.464,20
    +21,42 (+1,48%)
     
  • S&P500

    4.573,61
    -81,66 (-1,75%)
     
  • DOW JONES

    34.523,00
    -612,94 (-1,74%)
     
  • FTSE

    7.059,45
    -50,50 (-0,71%)
     
  • HANG SENG

    23.475,26
    -376,98 (-1,58%)
     
  • NIKKEI

    27.821,76
    -462,16 (-1,63%)
     
  • NASDAQ

    16.132,50
    -258,25 (-1,58%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3676
    +0,0384 (+0,61%)
     

O que é o Google Mars?

·2 min de leitura

O Google Mars é uma ferramenta que foi construída pelo Google em parceria com pesquisadores da NASA na Universidade Estadual do Arizona (EUA). Com mais de dez anos de história, o Google Mars reúne imagens e informações sobre Marte. Segundo a iniciativa, aliás, a plataforma possui os mapas científicos mais detalhados do planeta.

Devido à interface simples e enxuta que apresenta, qualquer usuário consegue explorar a superfície do Planeta Vermelho com facilidade. E, ao contrário do Google Earth, cujo foco são modelos tridimensionais do nosso planeta, a plataforma marciana apresenta dados topográficos (e com menor apelo visual).

Além disso, o acesso ao Google Mars está restrito ao navegador. Mesmo que não existam apps dedicados, contudo, é possível utilizar a ferramenta tanto pelo celular quanto pelo computador — já o Google Earth conta com uma versão para Web, bem como um aplicativo e um programa para PC. Portanto, não vale confundir as plataformas.

O que o Google Mars oferece?

O Google Mars permite localizar diferentes acidentes geográficos de Marte (Imagem: Kris Gaiato/Captura de tela)
O Google Mars permite localizar diferentes acidentes geográficos de Marte (Imagem: Kris Gaiato/Captura de tela)

O Google Mars possui três modelos de mapa, cada um focado em diferentes aspectos da superfície marciana. O primeiro deles é o modo Elevation, cujo objetivo é destacar o relevo. Esse mapa foi desenvolvido a partir de dados obtidos pelo Mars Orbiter Laser Altimeter (MOLA), instrumento que pertenceu à sonda espacial Mars Global Surveyor, e explorou o planeta entre 1997 e 2006.

O próximo modelo, chamado Visible, apresenta imagens mais realistas do planeta. Apesar disso, sua exibição é feita em tons de cinza — uma escolha dos desenvolvedores para ressaltar mais detalhes da superfície. Esse mapa, por sua vez, foi criado através de imagens fornecidas pelas lentes da Mars Orbiter Camera (MOC), instrumento da mesma sonda espacial.

Por fim, há o modo Infrared que, como o nome em inglês já sugere, possui capturas infravermelhas de Marte. Os dados apresentados foram reunidos pelo Thermal Emission Imaging System (THEMIS), que foi levado ao Planeta Vermelho em 2001 pela sonda Mars Odyssey.

Além de oferecer três mapas altamente detalhados, o Google Mars ainda permite que o usuário determine a exibição a partir de acidentes geográficos, como montanhas, cânions, planícies, crateras e outros. E não para por aí: também é possível acessar histórias do planeta e conhecer as sondas que já estiveram em sua órbita.

Quer ficar por dentro do Google Mars e aprender a usar todas as suas funções? Acesse o artigo especial do Canaltech no link abaixo:

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos