Mercado fechará em 4 h 24 min
  • BOVESPA

    100.905,29
    +2.233,03 (+2,26%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    47.990,55
    +249,05 (+0,52%)
     
  • PETROLEO CRU

    109,10
    +1,48 (+1,38%)
     
  • OURO

    1.822,70
    -7,60 (-0,42%)
     
  • BTC-USD

    20.771,88
    -492,63 (-2,32%)
     
  • CMC Crypto 200

    452,64
    -9,15 (-1,98%)
     
  • S&P500

    3.918,31
    +6,57 (+0,17%)
     
  • DOW JONES

    31.544,80
    +44,12 (+0,14%)
     
  • FTSE

    7.265,51
    +56,70 (+0,79%)
     
  • HANG SENG

    22.229,52
    +510,46 (+2,35%)
     
  • NIKKEI

    26.871,27
    +379,30 (+1,43%)
     
  • NASDAQ

    12.135,50
    -5,00 (-0,04%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    5,5251
    -0,0273 (-0,49%)
     

O que é e como funciona o Face ID

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Pela precisão e viabilidade do recurso, muitos usuários podem ter dúvidas sobre o que é e como funciona o Face ID — por qual motivo ele é tão confiável e pode garantir a proteção das informações contidas nos dispositivos.

O que é o Face ID

O Face ID é uma avançada tecnologia da Apple para autenticação e segurança do iPhone e iPad Pro. Estreou em novembro de 2017, com a apresentação do novo iPhone X, ele sucedeu à linha de iPhones que contavam com o sensor de impressão digital como principal método de biometria.

Atualmente, o Face ID ainda continua sendo o principal e mais avançado método de biometria no mercado de smartphones, garantindo autenticação biométrica com maior segurança e intuitividade que as tecnologias antepassadas. Além de desbloquear o aparelho, o reconhecimento facial da Apple também pode autenticar compras pelo Apple Pay, além de download e assinatura de apps na App Store.

O Face ID é uma tecnologia da Apple para reconhecimento e autenticação facial (Imagem: Apple/Reprodução)
O Face ID é uma tecnologia da Apple para reconhecimento e autenticação facial (Imagem: Apple/Reprodução)

Como funciona o Face ID

À primeira vista, pode parecer estranho e incomodo utilizar um iPhone com um entalhe enorme no topo da tela. O motivo é simples de explicar, mas envolve uma grande engenharia por trás dos panos: o sistema de câmera TrueDepth. Ele é o responsável pelo funcionamento do Face ID. Seu papel é mapear a geometria do rosto com precisão e, devido a isso, precisa ocupar uma parte maior da tela que comparado a uma câmera selfie comum.

Para entender melhor a mágica do TrueDepth, a sua tecnologia avançada - que integra hardware e software - faz a leitura de dados do rosto com precisão e projeta milhares de pontos invisíveis para desenvolver um mapa de profundidade, além de reforçar a sua precisão com uma imagem infravermelha da face. Isso impede definitivamente que uma simples foto consiga desbloquear o iPhone ou iPad Pro.

Esse recurso é possível graças a parte do Neural Engine, presente nos chips A11, A12 Bionic, A12X Bionic, A13 Bionic, A14 Bionic e A15 Bionic e protegida pelo Secure Enclave. Assim, o mapa de profundidade e a imagem infravermelha podem ser calculadas rapidamente para uma comparação de dados.

A inteligência do recurso é tamanha que o Face ID pode adaptar-se às mudanças do fenótipo de uma pessoa, ou seja, mesmo se usar maquiagem ou crescer a barba ainda é possível usar o reconhecimento facial. Além disso, se houver outro tipo de mudança mais brusca no rosto, basta usar o código de desbloqueio para confirmar a identidade que o Face ID irá atualizar o dados.

E não há problema se o usuário estiver em um ambiente iluminado ou no escuro, e ainda utilizar chapéu, lenço, óculos, lentes de contato, ou outros acessórios similares no rosto, o Face ID poderá ainda reconhecê-lo e fazer a autenticação dos dados. Um dos únicos contrapontos é a utilização de máscara, que já foi resolvido com o iPhone 12 (ou posterior) atualizado a partir do sistema iOS 15.4.

Dá pra burlar o Face ID?

Com as inúmeras tentativas de cópia do recurso da Apple em smartphones concorrentes, o consumidor pode ficar desconfiado quanto a segurança do próprio recurso original. Afinal, uma pessoa comum conseguiria burlar o Face ID utilizando uma foto ou outro recurso semelhante?

A resposta é: não. Não há como uma pessoa comum utilizar métodos alternativos para enganar o Face ID e acessar as informações do usuário. Isso não quer dizer que a tecnologia é a prova de falhas, alguns estudos já mostraram ser possível contornar a biometria e desbloquear o aparelho. Porém, pessoas comuns não precisam se preocupar, em geral as chances de acontecer com pessoas comuns são ínfimas.

Como configurar o Face ID

Para dar seus primeiros passos com o Face ID no iPhone ou iPad Pro, você precisa registrar o seu rosto no dispositivo. Para isso, siga os passos abaixo:

  1. Abra o app Ajustes. Em seguida, toque em "Face ID e Código";

  2. Digite o código de desbloqueio do dispositivo;

  3. Toque em "Configurar Face ID";

  4. Posicione seu rosto de frente para a câmera do dispositivo para configurar o Face ID. O recurso precisa ver seus olhos, com distância do alcance do braço de 25 a 50 cm do rosto.

Configure o Face ID no seu dispositivo (Imagem: Thiago Furquim/Canaltech)
Configure o Face ID no seu dispositivo (Imagem: Thiago Furquim/Canaltech)

Depois de registrar o rosto no Face ID, você pode começar a utilizá-lo no seu dispositivo Apple. Você deve utilizar o recurso para desbloquear o iPhone ou iPad Pro, autenticar compras na App Store, iTunes Store e confirmar o uso de um cartão de crédito ou débito no Apple Pay.

Se você estiver notando problemas de funcionamento do reconhecimento facial no seu dispositivo, acesse nosso guia sobre como corrigir problemas no Face ID ou entre em contato com o Suporte da Apple.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech:

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos