Mercado fechado

O que é cibercrime

Nunca se falou tanto em cibercrime. Na medida em que os smartphones concentram cada vez mais informações pessoais, sensíveis e dados financeiros, enquanto negócios e empresas transferem seus sistemas para a nuvem e os funcionários para casa, a segurança digital se tornou mais relevante do que nunca. E o mesmo, claro, também vale para a atuação dos bandidos.

No último ano, por exemplo, o Brasil foi o 5º maior alvo global de ataques cibernéticos. De acordo com dados da consultoria alemã Roland Berger, o volume total de ataques registrados apenas no primeiro semestre do ano passado já foi suficiente para ultrapassar o total de 2020, com tendência a aumentar na medida em que usuários e companhias se tornam um alvo cada vez maior, justamente, por conta da maior participação do mundo digital no cotidiano.

Enquanto falamos de inovação, inclusive nos crimes cibernéticos, o Código Penal é a legislação que regula os casos de crime digital no país. Em 2021, as leis receberam uma atualização que tornou mais severa as punições aos crimes digitais, além de definir diretamente alguns deles e criar dispositivos legais para abranger outros. Confira alguns exemplos:

Como denunciar crimes digitais?

<em>Procurar a polícia para denunciar crimes digitais, avisar instituições financeiras e sites de comércio eletrônico são bons caminhos para dificultar a atuação de criminosos (Imagem: Onur Binay/Unsplash)</em>
Procurar a polícia para denunciar crimes digitais, avisar instituições financeiras e sites de comércio eletrônico são bons caminhos para dificultar a atuação de criminosos (Imagem: Onur Binay/Unsplash)

O contato com órgãos oficiais é o principal caminho para denunciar cibercrime. Em caso de fraude financeira, roubo de informações e golpes no comércio eletrônico, por exemplo, a polícia deve ser procurada para registro de boletim de ocorrência.

Em redes sociais e mensageiros, também vale denunciar e bloquear contas que disseminam spam, links maliciosos e demais tentativas de fraude. O mesmo vale para sites de comércio eletrônico com marketplaces, onde os vendedores fraudulentos devem ser indicados para que a plataforma tome atitudes.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: