Mercado fechado

O que é blog? Saiba de onde vem o termo

Ariane Velasco

Com a popularização da internet, plataformas de compartilhamento de conteúdos se tornaram as queridinhas do público geral, mesmo antes de as redes sociais "explodirem". E entre essas plataformas estão o blogs, que começaram como diários pessoais no ambiente virtual, no finalzinho dos anos 1990, e rapidamente foram encarados como o meio ideal de divulgar informações e ideias na internet. Mesmo hoje em dia, blogs são frequentemente usados e acessados por uma quantidade enorme de pessoas em seu cotidiano. No entanto, poucas se fazem uma pergunta que, embora subestimada, deve ser respondida: afinal, o que é blog?

Antes de mais nada, é importante salientar que o blog é um site que pode ser utilizado tanto no âmbito pessoal quanto no profissional. A ferramenta é responsável por permitir que os usuários produzam conteúdo e distribuam ideias para outros internautas. Um blog possui uma estrutura bem diferente de outros sites, como os institucionais ou portais de notícias mais tradicionais. Ele pode ser disponibilizado na web tanto através de um endereço próprio (registrado pelo próprio dono do blog) quanto através de domínios estabelecidos por plataformas como o Medium, bastante usado nos dias de hoje.

O termo "blog" foi usado pela primeira vez em 1999 (Imagem: Reprodução)

Leia também:

De onde veio o termo “blog”? O que ele significa?

Os blogs surgiram como uma alternativa aos espaços virtuais nos primórdios da internet, como fóruns e salas de chat, porque as pessoas começaram a sentir a necessidade de ter um espaço próprio onde divulgar suas ideias. Eles começaram a se popularizar no finalzinho dos anos 1990, ganhando ainda mais popularidade no início dos anos 2000 quando as primeiras plataformas de hospedagem gratuita de blogs começaram a surgir.

O termo vem de “weblog”, que significa algo como “registro na web”. Esse termo foi criado em 1997 por John Barger e abreviado para “blog” em 1999 por Peter Merholz, que, brincando com a palavra weblog, dividiu-a em duas partes para gerar a frase "we blog" ("nós blogamos"). Depois disso, aos poucos todo mundo adotou a abreviação e o termo blog foi disseminado, e os usuários mais comprometidos começaram a ser chamados de "bloggers", ou, na versão brazuca, "blogueiros". E foi nesse contexto que a plataforma Blogger se tornou uma das mais importantes daquela época, permitindo que qualquer pessoa criasse seu próprio blog gratuitamente. Por sinal, a Pyra Labs, empresa que criou o Blogger, foi co-fundada por Evan Williams, que também é co-fundador do Twitter e criador do Medium.

O uso de blogs permanece popular na Internet (Imagem: Reprodução)

Sem os blogs, não haveria influencers

No início dos anos 2000, o termo "influenciador digital" ainda não era usado como nos dias de hoje, mas a internet viu os primeiros influencers surgirem naquela época, graças aos blogs e às primeiras redes sociais, como o Fotolog, que estreou em 2002. Depois disso, outras rede sociais surgiram (como Orkut, Facebook e Twitter) e, com elas, cada vez mais usuários foram ganhando notoriedade e fama por conta de suas atividades online.

Então, em 2010 surgiu o Instagram para o iOS, chegando ao Android em 2012 e com ele, um novo jeito de blogar tomou conta da internet. Utilizando a plataforma para divulgar fotos e vídeos muitos usuários passaram a usar o aplicativo também como um blog, abandonando plataformas tradicionais. Esse novo jeito de blogar tem se tornado cada vez mais popular e, inclusive, apoiado pelo Instagram e por marcas que desejam divulgar seus produtos, especialmente com o surgimento de novos recursos, como é o caso dos Stories, que mantêm as imagens e textos no ar por apenas 24 horas. Mas os blogs em sua essência tradicional não morreram com o avanço das redes sociais de fotos e vídeos, permanecendo relevantes mesmo 20 anos depois de surgirem.

Influencers, antigamente chamados apenas de blogueiros, abordam todo tipo de conteúdo: música, tecnologia, games, entretenimento, arte, moda, comportamento, cuidados pessoais, maquiagem, esportes, literatura, estudos, decoração, maternidade, entre diversos outros. Seus blogs (ou, em muitos casos, perfis em redes sociais) são responsáveis por reunir entusiastas como seguidores e concentrar discussões em cada post, com análises de produtos, divulgações de eventos, dicas úteis para o cotidiano, e muito mais.

Os influencers frequentemente contam com empresas de marketing digital ou aplicativos pagos para impulsionar seus posts a fim de conquistar mais seguidores, e também pagam anúncios nas plataformas para serem divulgados a muitas outras pessoas. A maioria, no entanto, começa seus blogs postando vídeos, fotos e textos sobre determinado assunto, construindo uma audiência aos poucos. À medida que seus seguidores vão aumentando, eles passam a contar com patrocinadores e parceiros, que acabam ajudando o influencer a ganhar mais dinheiro e, assim, construir sua carreira online.

Tem blog sobre todo tipo de conteúdo por aí (Foto: Reprodução/Pixabay)

Como criar um blog em 2019

Agora que você já conhece um pouco mais sobre a história dos blogs, que tal criar o seu próprio? Essa ferramenta pode ser muito útil especialmente se você é especialista em algum assunto, podendo compartilhar conteúdo relevante que, de repente, será lido por um grande número de pessoas.

Existem plataformas variadas para criação de blogs, sendo que muitas podem ser utilizadas gratuitamente, tais como o "ancião" Blogger e o Medium que citamos neste texto, além do também muito popular WordPress. Para criar sua conta nesses sites e começar a postar seu conteúdo, basta criar um cadastro, fornecendo alguns dados como nome completo, tema do blog, nome de usuário desejado (que será usado na URL de seu blog) e uma breve biografia sobre o autor.

A parte divertida fica por conta da personalização: algumas plataformas permitem que você personalize o visual de seus blogs por completo (e você pode até mesmo criar o design de seu blog por conta própria se tiver conhecimentos de linguagens de programação como o HTML), enquanto outras oferecem temas prontos (os chamados templates), e há ainda aquelas que só permitem personalizar seu nome e biografia, sem mudar nada no visual. Qualquer que seja a sua escolha, o importante é que seu blog tenha a sua "cara (caso seja pessoal) ou a "cara" do tema que você vai explorar — seja com elementos visuais, seja com o conteúdo publicado.

Fonte: Canaltech

Trending no Canaltech: