Mercado fechará em 3 h 28 min
  • BOVESPA

    111.062,19
    +2.168,87 (+1,99%)
     
  • MERVAL

    38.390,84
    +233,89 (+0,61%)
     
  • MXX

    42.552,66
    +773,79 (+1,85%)
     
  • PETROLEO CRU

    44,72
    -0,62 (-1,37%)
     
  • OURO

    1.811,30
    +30,40 (+1,71%)
     
  • BTC-USD

    19.359,27
    -40,49 (-0,21%)
     
  • CMC Crypto 200

    380,71
    +0,85 (+0,22%)
     
  • S&P500

    3.670,98
    +49,35 (+1,36%)
     
  • DOW JONES

    30.042,00
    +403,36 (+1,36%)
     
  • FTSE

    6.379,32
    +113,13 (+1,81%)
     
  • HANG SENG

    26.567,68
    +226,19 (+0,86%)
     
  • NIKKEI

    26.787,54
    +353,92 (+1,34%)
     
  • NASDAQ

    12.425,00
    +148,00 (+1,21%)
     
  • BATS 1000 Index

    0,0000
    0,0000 (0,00%)
     
  • EURO/R$

    6,3097
    -0,0515 (-0,81%)
     

'O mundo das viagens como era em janeiro nunca mais voltará', diz Brian Chesky, CEO do Airbnb

Finanças Internacional
·2 minuto de leitura
Foto: AP/Eric Risberg
Foto: AP/Eric Risberg

Brian Chesky, o bilionário cofundador e CEO do Airbnb, disse ao Yahoo Finanças que a pandemia de coronavírus alterou permanentemente as preferências de viagem no mundo todo, redefinindo o futuro do setor de hospitalidade.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Finanças no Google News

"As viagens mudaram para sempre", disse Chesky, cuja empresa perdeu milhões de dólares e demitiu um quarto da equipe em decorrência da pandemia. "O mundo das viagens como era em janeiro nunca mais voltará. Tenho quase certeza disso."

Leia também

Ele disse que as reuniões pelo Zoom substituíram grande parte das viagens de negócios, e as de lazer mudaram de áreas metropolitanas para áreas rurais de fácil acesso.

"As pessoas em todos os países estão dizendo que querem sair de casa, mas não se sentem seguras para entrar em um avião. Elas querem pegar o carro e dirigir no máximo 500 quilômetros", explicou Chesky.

"Muitas pessoas que achavam que precisavam pegar um avião e visitar uma cidade grande perceberam que existem mais de 400 parques nacionais nos Estados Unidos e que, inclusive, podem morar perto de um deles. Essa é uma percepção que veio para ficar".

"A pandemia prejudicou o principal negócio de aluguéis temporários do Airbnb, mas nas últimas semanas a demanda voltou ao nível do ano passado, mesmo com a mudança nas preferências dos viajantes", ele disse.

"Eles estão preferindo ficar em casas, e isso foi uma surpresa para nós", acrescentou ele na entrevista gravada na última quarta-feira.

"Passamos 12 anos desenvolvendo nossos negócios e, em seis semanas, perdemos cerca de 80% de tudo", contou. "Agora, está tudo muito movimentado".

Na semana passada, Chesky enviou um comunicado aos funcionários dizendo que a companhia limitada retomou as etapas para se tornar pública este ano, mas a decisão final será definida pelas condições do mercado.

Chesky falou sobre a experiência turbulenta que teve em março, quando a disseminação da pandemia passou a dominar as notícias, e a demanda pelo Airbnb despencou.

"Criamos a empresa há mais de uma década, e essa foi a experiência mais louca da minha vida profissional", ele disse. "Por muitos anos eu achei que provavelmente não passaria por algo mais louco que criar o Airbnb, mas em março mudei de ideia".

"Parecia que eu estava em um navio que perdeu o controle no meio do mar durante uma tempestade. Era como se tudo fosse afundar", concluiu.

Max Zahn e Andy Serwer

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Finanças no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube